Sucesso ilimitado

Cabelereira Silvia (2)

 

Nascida e criada na fazenda São Pedro, Silvia se mudou para a cidade com a família aos 10 anos de idade. Hoje, aos 54 anos, a menina que brincava de boneca de espiga de milho é uma empresária de sucesso consolidado.

Silvia Helena Catin começou a trabalhar cedo, aos 10 anos de idade. Conciliava os estudos com o primeiro emprego. Sua função? Empregada doméstica. E foi assim por cinco anos, quando começou a trabalhar na casa de uma cabeleireira. Na época, Batatais tinha apenas cinco salões e o de sua nova patroa era o mais famoso. Curiosa que era, Silvia acabava o trabalho e ia para o salão limpar o chão, lavar os materiais… Tudo isso para ficar de olho no que enchia seus olhos: gostava de ver as mulheres ficando bonitas!
Certo dia precisou largar a escola. A mulher para quem trabalhava teve um problema, aumentando o horário de trabalho da adolescente, que só ia para casa depois de colocar as crianças para dormir. Os dias passavam e o esforço e interesse começaram a ser reconhecidos e uma promessa de trabalhar no salão apareceu: quando uma oportunidade surgisse, a vaga seria dela. E, de tanto rezar, ela veio. Mas veio também a redução do salário. “Ela disse que não poderia me pagar no salão o mesmo que me pagava para limpar a casa. É como se o salário fosse quinhentos reais e ela pudesse me pagar cinquenta. Chorei com meu pai e disse que não poderia aceitar o trabalho porque o dinheiro faria falta. Foi ai que ele me incentivou, disse que se precisasse dividiríamos o prato de comida, mas que se eu gostava e era isso que queria fazer, ele acreditava. ”, lembra a empresária.

Assim foi o começo. Acompanhado do seu esforço, dedicação e amor, já no segundo mês seu salário começou a aumentar. Pouco tempo depois, viria outra surpresa. Sem explicações, era mandada embora. O que, no começou, lhe fez sentir raiva, fora, na verdade, o melhor que lhe acontecera. Foi daí que surgiu seu pequeno negócio: seu salão.
O início não foi fácil. Usou um cômodo na casa da mãe e empréstimo do pai para comprar tesouras, espelhos, shampoos, cadeiras e todo o equipamento necessário. Além disso, fez questão de desenvolver um estilo que a fizesse única. Começou se diferenciando pelos horários de trabalho. Se necessário, atendia suas clientes aos domingos.

Com as dívidas pagas o primeiro grande passo poderia ser dado. Sempre consciente, sabia que o mais importante era ter uma boa gestão do negócio que crescia e profissionalizar o atendimento. Foi assim que fez seus primeiros cursos, começando por Ribeirão Preto e Franca, passando pela cidade de São Paulo e, por fim, fez cursos na Argentina e até nos Estados Unidos. Participou de feiras, lançamentos de produtos, fez inúmeros cursos técnicos e no Sebrae. O objetivo era sempre o mesmo: buscar o que havia de melhor havia no mercado da beleza.
O espaço começou a ficar cada vez menor e, então era hora de ampliar. Novamente. Nasceu assim a TokSpecial Salão de Beleza, bem no centro da cidade. “Crescer significa correr riscos e apesar do meu sucesso individual vi que era preciso criar uma equipe com os mesmos valores que eu havia adotado.”, comenta a empresária que buscou mulheres empreendedoras para formar seu time, que hoje conta com quinze profissionais.

Sua constante especialização e a preocupação em oferecer bons produtos a suas clientes fez com que outro empreendimento surgisse: a TokSpecial Perfumaria. A primeira da cidade. Era mais um diferencial para as clientes, que chegavam cada vez mais. Foi assim, com bons produtos e uma equipe especializada, bem treinada, que a TokSpecial virou referência entre os salões de beleza da cidade.
“Olhando para a minha equipe eu decidi criar outros nichos de negócio, foi quando criei a TokSpecial Escola de Beleza, ou seja, decidi abrir no mesmo espaço cursos de formação profissional para Batatais e região”, conta Sílvia, que questionada qual lado fala mais forte, se é a empresária ou a cabeleireira, responde sem hesitar “qual lado fala mais forte? As duas são inseparáveis! A cabeleireira tem sangue de empresária. Não tem como separar.”

As necessidades, novamente viraram oportunidades. A demanda de serviços e a preocupação com o que oferece à quem frequenta seu salão, deu origem a duas novas empresas: Philvia Depil e Philvia Cosméticos. A necessidade de produtos que fosse de encontro com a necessidade de acertar uma cera de depilação natural e que proporcionasse um rendimento sustentável para as reguladoras foi o ponto chave. “Através de pesquisas e muitos testes fechamos com os benefícios da cenoura, barbatimão e própolis. Tudo no mesmo produto. Estamos acrescentando no próximo rótulo da cera que ela é vegana. O mundo muda e temos que estar alerta ao mercado”, pontua, mais uma vez.

Além de formar sua equipe e tantas outras pessoas que passaram por sua escola, Sílvia deu oportunidade para cinco pessoas de sua família, que hoje também são cabeleireiros. Tem também os três filhos trabalhando com ela: Helena, a caçula, cuida da empresa Philvia; José Eduardo, o filho do meio gerência a TokSpecial e também é cabeleireiro; e João, o mais velho, comanda o Sr. Barba, barbearia anexa ao salão.
Se acabou a história da menina nascida na fazenda e que, hoje, tem uma vida abundante e extraordinária e que, graças à profissão, viajou o mundo? Não. Nasceu, recentemente, mais uma empresa, a FEBB: Ferramenta Empreendedora da Beleza Brasileira. Dando no curso profissionalizante em seu curso, este ano o coaching chegou, fazendo com que as alunas aprendessem mais rápido. Foi assim que veio a ideia de filmar as aulas, para serem transmitidas online. Para a menina nascida na fazenda, esse é mais um desafio por se tratar de marketing digital. E é exatamente assim que ela chama as dificuldades, de desafios.

O próximo projeto, já em desenvolvimento é o MAS: Mapa de Ação Sistémica para Salão de Beleza, onde ensinará os oito pilares que sustentam qualquer empresa. Mas caminhada não foi só de trabalho e empreendimento, foi também de reconhecimentos, dentre eles o prêmio “Sebrae Mulher de Negócios”, em 2011, que lhe abriu muitas outras oportunidades.

A mulher forte e empreendedora consolidada ficam nítidas quando ela afirma que as pessoas podem ser o que quiserem. Desde que não joguem pedras no passado, porque assim, se esquece de olhar para o mais importante: para frente.
“Eu venho trabalhar, hoje, como se fosse o primeiro dia. Sempre. E sempre com muito amor, com muita garra e com muita vontade de aprender sempre mais, porque o segredo do sucesso é ilimitado”, conclui Sílvia, a menina que nasceu na fazenda e aprendeu desde cedo o que é não desistir.

Por: Letícia Agostinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.