Está na Hora de Rasgar o Diploma Universitário?

crismiura.fw

Cris Miura
@crismiura
CEO & Founder da Pontue - Redação Inteligente. Líder do Grupo de Educadores do Google Ribeirão Preto (GEG - RP). Especialista em Linguística pela Unesp - Araraquara e em Tecnologia aplicada à Educação pela PUC - RS.

Imagine a cena: você estuda por 4 ou 5 anos, gasta muita grana com cópias e materiais de estudo e, após se formar, você rasga o seu diploma. Parece uma cena absurda dos filmes do Tarantino, certo? Até poderia, mas, atualmente, é uma realidade. A única diferença é que não é você quem está rasgando o seu diploma, mas, sim, são as grandes corporações, tais como Google, Apple e IBM.

De acordo com um levantamento da Glass-door, plataforma norte-americana de recrutamento, ter um diploma já não é mais pré–requisito para ser contratado por grandes empresas tecnológicas. Para elas, o que de fato importa é se o candidato possui experiência, competência e habilidade suficientes para atuar no cargo. E é nessa perspectiva que a IBM, gigantesca no setor de tecnologia, apresenta o atual quadro de funcionários: 15% dos colaboradores da empresa não possuem certificação de ensino superior. De acordo com a empresa, o que se busca, hoje, é um profissional que seja autodidata e tenha iniciativa para resolver situações – problema.

E esse cenário é ainda mais intenso no setor de tecnologia. Em um contexto no qual centenas de milhares de vagas são encerradas sem contratação, justamente pela falta de experiência, o mercado de contratação precisa adaptar-se aos novos perfis. Afinal, com o crescimento dos cursos de capacitação de curta duração, a baixo custo e de fácil acesso, como os da Udacity, por exemplo, ser especialista em uma área técnica, ainda que sem uma certificação de ensino superior, certamente é uma possibilidade para muitas pessoas.

Mas, é claro que você não vai sair “rasgando” o diploma! Afinal, ter uma certificação de ensino superior ainda é, principalmente, no Brasil, um diferencial na maioria das carreiras. De acordo com uma pesquisa da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), em 2017, um trabalhador brasileiro ganhava, em média, 140% a mais do que um profissional que parou no Ensino Médio. Nesse sentido, o diploma ainda é um dos pré-requisitos para aumentar a faixa salarial. Porém, apesar desse dado demonstrar a importância do diploma, é certo que esse contexto ainda não é igualitário: enquanto 35% da população do Distrito Federal entre 25 e 37 anos têm ensino superior, por exemplo, no Maranhão, a taxa cai para 7%, de acordo com a mesma pesquisa. Por essa razão, possibilitar que aqueles que não possuem o diploma de ensino superior sejam também contratados, é uma forma de encurtar as distâncias sociais do país, por meio da geração de empregos.

Então, pode continuar imaginando a sua formatura, a entrega do famoso “canudo”, enfim, não há problema algum em obter um diploma de ensino superior. Porém, caso este não seja o seu sonho – por não querer ou por não poder – saiba que as grandes empresas estão criando novos caminhos para que se possa ser um grande profissional, ainda que sem um certificado de graduação. Afinal, talvez não seja um papel que precisamos rasgar, mas, sim, nossos preconceitos com relação aos novos e competentes profissionais do século XXI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Anúncios