Quer empreender? Então Pega essa Visão!

Rick Chesther – Créditos: Foto Robson Fonseca, Make Stephanie Souza

Após vídeo de um minuto, no qual ensina como iniciar um negócio com apenas R$ 10, Rick Chesther transforma a própria vida e se torna ‘embaixador’ do empreendedorismo popular no País.

O que você seria capaz de dizer em um minuto e, com isso, transformar completamente sua vida aos 40 anos de idade? Em maio de 2018, o ex-vendedor de água mineral Rick Chesther da Silva soltou um vídeo na internet, no qual ensina como iniciar o próprio negócio tomando (e pagando) R$ 10 emprestados e obtendo um lucro de até 750% em apenas dois dias. Pois o vídeo da água virou febre em grupos de WhatsApp e, em menos de seis meses, o mineiro de Pitangui, que vive no Rio de Janeiro desde 2017, viu sua vida mudar completamente.

“Hoje eu vivo num condomínio fechado, lancei um livro, tenho um contrato com uma das maiores instituições financeiras do País, já dei entrevistas para os principais canais de televisão, palestrei na Universidade de Harvard e possuo mais de meio milhão de seguidores na internet”, contabiliza Chesther, aparentemente sem se deslumbrar com os momentos de fama.
E ele parece não se deslumbrar pois sabe que a vida é uma roda viva. “Costumo dizer que sou resultado do não que dei a todos os nãos que a vida me deu. Sei que a vida vai me jogar no chão, mas tenho que estar preparado para levantar, entender que a vida é assim mesmo e é preciso superar os desafios e seguir em frente. Por isso, tenho como principal meta manter meus dois pés bem fincados no chão, não esquecer a minha essência, as minhas origens”, diz.

Se hoje o pensamento é saber lidar com tudo aquilo que a fama e o dinheiro podem oferecer, as metas traçadas por Chesther no passado já foram uma questão de sobrevivência, desde a infância. Aos 8 anos, vendia a verdura que plantava no quintal para ajudar a comprar carne para a família. E não parou mais. Já vendeu picolé, bijuteria, água e hoje é referência para quem, como ele, apostou no empreendedorismo popular. “Nas minhas palestras, em todo o País, tenho percebido pessoas mais dispostas a ter o seu próprio negócio. O empreendedorismo popular está pulsando, tem toda uma galera indo para a rua, comprando, vendendo, fazendo suas engrenagens girarem e eu fico muito feliz em deixar de ser um CPF para me tornar uma espécie de grito dessa gente que quer empreender, dessa gente que pegou essa visão”, analisa, se referindo ao bordão que lançou ao final de seu primeiro vídeo e que também dá nome ao seu primeiro livro, lançado em setembro de 2018 pela Buzz Editora (208 páginas) com uma tiragem inicial de 20 mil cópias e que já partiu para a segunda edição.

Caminhada com os Livros

Nas muitas entrevistas que Rick Chesther se habituou a conceder após a fama repentina, o ex-vendedor de água procura combater justamente esta visão, de que sua mudança de vida foi algo repentino, que aconteceu ao acaso. “As pessoas erram ao valorizar apenas o resultado. É preciso valorizar a trajetória”, diz, antes de lembrar que aquele vídeo de um minuto que viralizou, na verdade, foi planejado durante muito tempo. “Outro erro é querer ser imediatista para conseguir resultados”, explica.
E a trajetória de Chesther até chegar ao vídeo, e mesmo depois dele, é formada por livros. Muitos livros! “De 1994 a 2017 eu li pelo menos três livros por semana, e essa leitura foi formando o meu repertório de conhecimento. É preciso entender isso: Nada vai custar tão caro na vida quanto a falta de conhecimento”, aconselha.
E quais são os livros que já passaram por suas mãos? “Eu sempre li e indico a leitura da Bíblia, independente da religião de cada um, ela deve ser lida de uma forma canalizada para o seu modo de pensar. É o livro mais completo. Outro livro que me marcou muito é ‘A Arte da Guerra’, pois é preciso aprender sobre a luta, a guerra. A ordem natural da vida é uma batalha, todos os dias, então é preciso entender sobre ela para poder travar uma guerra leal no nosso dia a dia”, diz.

“Fala-se muito da crise no País, mas ele só vai melhorar quando as pessoas resolverem fazer uma mudança interna, partir em busca da transformação de si mesmo para auxiliar na transformação do País.”

Conhecer a Si mesmo e Agir

Para Rick Chesther, a soma de dois fatores o levou ao caminho do empreendedorismo: o sonho e a necessidade, e isso cabe na realidade de qualquer um. “O empreendedorismo vive dentro das pessoas, mas nem todo mundo descobre isso. Todo mundo tem a vontade de ter o próprio negócio, girar a sua própria engrenagem, mas falta coragem de fato para começar, nem que seja como um plano B”, avalia Chesther. Para ele, existe todo um sistema que impede as pessoas de saírem do lugar. “Mas é preciso dizer um não para isso”, completa.
Chesther diz que os primeiros passos para empreender são investir no conhecimento de si mesmo e partir efetivamente para a ação. “Perde-se muito tempo esperando o momento certo, a ocasião ideal. Uma grande ideia tem que ser colocada em prática, só assim ela poderá se tornar um negócio”, aconselha.

“Sou resultado do não que dei a todos os nãos que a vida me deu. Sei que a vida vai me jogar no chão, mas tenho que estar preparado para levantar, entender que a vida é assim mesmo e é preciso superar os desafios e seguir em frente”

Palestra em Harvard

Após o sucesso de seu primeiro vídeo, Rick Chesther foi convidado para palestrar em uma das universidades mais conceituadas do mundo. Em Harvard, ele elogiou os estudantes e pesquisadores brasileiros que atuam fora do País: “Vocês ampliam as fronteiras do Brasil”. Após contar sua história e enfatizar a 42ª linha da letra do Hino Nacional Brasileiro – “verás que um filho teu não foge à luta”, o ex‑vendedor ambulante afirmou que “amanhã, se tudo der errado, eu e esta caixa reconstruiremos tudo outra vez”, em referência à caixa de isopor pintada em verde e rosa, as cores da escola de samba Mangueira, sua companheira nas vendas de água pelas ruas das praias cariocas.

Veja a seguir, três conselhos de Rick Chesther para quem quer empreender

Conheça você mesmo: “O maior erro que alguém pode cometer é se lançar a fazer algo sem saber o que pode fazer e até onde pode ir. É preciso descobrir a que veio neste ; mundo, identificar suas habilidades e dar início ao seu processo pessoal de transformação”.

Acredite no que faz: “Se uma pessoa não for a primeira a acreditar no que ela faz, vai perder para si mesma”.

Tenha fé: “Inicie seu empreendimento, acredite nele e tenha fé que tudo vai dar certo. Isso é mais importante do que ter uma fortuna. Eu tinha R$ 10 quando comecei”.

Trajetória vai virar Filme

Nos últimos dias de 2018, em um post em seu perfil no Facebook, Rick Chesther anunciou: “Essa é pra fechar 2018 com muita emoção e felicidade. Minha caminhada será contada em ‘Pega a Visão: O Filme’!”. Segundo o texto, o vídeo vai mostrar a infância com poucos recursos, a mudança para a cidade grande, as dificuldades, a superação nas quedas, os detalhes da gravação do vídeo da água, o dia a dia do empreendedor popular e o surgimento do palestrante/mensageiro. “Tudo isso, e muito mais, reunidos em um filme documentário contado por pessoas reais, que viveram e conviveram comigo em alguma parte de meu percurso. Trabalharemos muito para entregar um produto de qualidade e que, acima de tudo, sirva como mais um parâmetro para aqueles que querem de fato entender e se espelhar no percurso, e não na chegada, na luta, e não na vitória”, escreveu Chesther.

Presença na Internet

Rick Chesther costuma dizer que não é um empreendedor, mas sim um mensageiro que provoca e instiga por meio das suas mensagens nas mídias sociais. Diariamente ele disponibiliza vídeos em que responde perguntas de internautas, dá conselhos e mostra o trabalho de empreendedores populares. Veja abaixo os caminhos digitais que levam ao pensamento de Chesther:
Instagram: @rick_chesther
YouTube: Rick_Chesther

Por Angelo Davanço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.