Delegar!

mariela.fw




Mariela Passalacqua
@namarimultibrand 
Graduada em Administração com ênfase em Marketing pela ESPM, trabalhou cinco anos na área de Marketing do Itaú Unibanco. Possui uma loja de roupas multimarcas no Iguatemi Ribeirão Preto há cinco anos.

Eu queria ter nascido polvo. Na verdade, um super polvo. Um ser capaz de cuidar sozinho das contas a pagar, dos recebimentos, das vendas, do atendimento perfeito, do estoque, dos mil e um eventos de lançamento, da gestão de equipe, do visual merchandising, do marketing, das compras de mercadoria das coleções que estão por vir e mais um monte de tarefas que vão surgindo pelo caminho.

Ao invés disso, nasci empreendedora. Com apenas a ilusão de que sozinha poderia dar conta de tantas funções primordiais para o funcionamento da minha loja. Nenhuma delas é secundária, uma depende diretamente da outra e todas vão ao encontro do objetivo: vender.

Foi um parto começar a delegar. Que dificuldade! Sempre achava que poderia fazer mais e melhor – SOZINHA. Quem nunca? Para o empreendedor que nasce pequeno e que vê seu negócio crescendo aos pouquinhos, com tanto suor, é tão duro deixar que uma outra pessoa faça o que a gente “sabe fazer”. Largar o osso não é nada fácil, imagine no meu caso que sou – descaradamente – possessiva!

Como primeira função a delegar escolhi a parte financeira, que me tomava muito tempo, já que não dominava completamente o assunto. O escolhido para a função? O marido, óbvio. Não me aventuraria a ir tão longe neste primeiro momento. Deu tudo certo! Para mim um grande salto que só foi possível devido à total confiança entre nós.

O segundo passo: marketing. Aqui a dificuldade foi largar o osso, já que sou formada na área. Mesmo assim, precisava de ajuda. O volume de criação é enorme, são convites para lançamento de coleção, aviso de promoção, ações de venda em geral. Enfim, eu nunca daria conta sozinha, então deleguei. De corpo e alma, confiando cegamente na agência escolhida. Mais um ponto pra mim!

Estou, agora, passando pela fase mais difícil do processo: delegando a gestão do estoque. Ainda em fase inicial. O investimento feito para a abertura da loja foi enorme, tem que ser, não me arrependo nem um segundo. Porém, agora precisamos chegar no ponto de equilíbrio. Ainda não vimos o resultado, mas já me sinto orgulhosa por ter deixado mais um tantinho do meu instinto possessivo de lado.

Conto minha experiência para, quem sabe, ajudar alguém que esteja pensando em abrir um negócio. Se um dia vier a empreender, delegue! Não leve 5 anos como eu fiz. Vai por mim, é libertador! Pedir ajuda não faz de você menos capaz, o faz mais inteligente!