Alice no Mundo das Maquiagens

Alice Salazar
Alice Salazar – foto divulgação

“Sem emprego, resolvi fazer um curso de maquiagem, já que tinha trabalhado com a minha mãe, que também é maquiadora.”

A gaúcha que pensava em ser dentista, hoje é uma das maquiadoras mais famosas do Brasil

Alice Caetano Salazar tem 35 anos e é casada com Maikel Santos Silva, 42. Hoje os dois moram em São Paulo. Mas antes de falarmos dessa mudança para a capital paulista, precisamos voltar ao Sul do País, onde tudo começou. Alice nasceu em Porto Alegre, mas foi criada em Santo Antônio da Patrulha, que fica entre a capital e o litoral norte do Rio Grande do Sul.

A gaúcha iniciou os estudos em Santo Antônio. Saiu de lá aos 18 anos e voltou a Porto Alegre, para fazer cursinho pré-vestibular e trabalhar como telefonista em um escritório de advocacia. Mal imaginava que uma demissão seria o pontapé para uma carreira de sucesso: “Sem emprego, resolvi fazer um curso de maquiagem, já que tinha trabalhado com a minha mãe, que também é maquiadora. Eu já tinha ajudado ela algumas vezes nos finais de semana, só que ela morava em Santo Antônio. Para me inserir no mercado em Porto Alegre, pensei em fazer os cursos por lá, onde ninguém me conhecia”, lembra Alice.

Na capital, entrou no Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) e já saiu empregada. “Minha professora me indicou para trabalhar na RBS TV, que é afiliada da Rede Globo, então eu trabalhei lá por cinco anos”, explica.

Talento de Família

O contato de Alice com o mundo dos glitters e dos batons começou ainda pequena, por influência da mãe, Margarete. Ela conta que ficava de olho em tudo o que a mãe fazia: “Eu ficava olhando tudo o que ela fazia e ficava atrás, ficava em volta. Sempre gostei”.

E ela percebeu que tinha o dom para a maquiagem aos 15 anos. Foi num dia em que a mãe não conseguiu fazer sua maquiagem e Alice se virou sozinha. “Achei que ela iria me maquiar para uma festa, como sempre fazia, mas ela estava trabalhando e eu me maquiei, aí ela me elogiou muito e disse: ‘nossa que bonita essa maquiagem que você fez’. Aquele elogio valeu tanto para mim que me deu uma autoestima muito grande para eu começar a maquiar. Então, a partir dali, eu comecei a me maquiar muito bem e a maquiar muitas pessoas, amigas, na época”, recorda.

Mesmo maquiando muito bem e recebendo vários elogios, Alice tinha vontade, desde criança, de fazer odontologia, mas quando foi procurar saber mais sobre a área, desistiu. “Na hora de fazer o vestibular eu pensei: humm… eu vou passar um dia em um consultório de uma prima minha, que era dentista, só para ver como é que é, porque eu tinha inventado de ser dentista, mas não sabia a real como é que era. E aí eu fui lá, passei uma tarde e saí sabendo que a única coisa que eu não queria na vida era aquilo”.

E o sonho frustrado gerou uma crise de identidade na gaúcha. Ela, que passou a infância inteira dizendo que seria dentista, precisou mudar de ideia. “Comecei a pensar o que eu gostaria de fazer, aí eu fiz Design de Produto, fiz um tempo, mas não me formei porque quando fui demitida do escritório de advocacia e fui fazer os cursos de maquiagem no Senac, eu me apaixonei por essa área e aí mudei o meu curso universitário para Estética e Cosmética”.

Mas ela não chegou a se formar, por causa da ideia de um amigo de fazer um blog, na época o famoso Espelho Meu. “No meio do último ano de curso, o blog estourou e eu não consegui mais ir para a faculdade, ficou muito difícil. Então por isso que até hoje eu não tenho uma formação de terceiro grau completa”, conta.

“Eu sou youtuber, sou maquiadora, sou empresária. Só que tem muita concorrência em todos esses setores, então eu tenho que estar sempre correndo para me destacar”

Start para o Sucesso

O blog de Alice estourou muito rápido e, a partir daí, ela se viu envolvida no meio da maquiagem, tanto por meio de cursos como pela internet. “Eu comecei a dar cursos de maquiagem no Brasil inteiro, que depois se transformaram em palestras e, hoje em dia, trabalhar com YouTube trouxe algumas unidades de negócios, então eu tenho os livros, uma linha de marca própria de maquiagem, tem curso on-line, trabalho com publicidade e tem a rede de franquias, que são as Alice Salazar Stores”, explica a maquiadora.

Com tantos bons desempenhos, ela se considera uma empreendedora por ser uma das primeiras maquiadoras a ter um destaque tão grande no País. “Hoje eu não tenho os maiores números, não tenho o maior público entre os youtubers e instagramers, mas tenho a característica de ser pioneira em algumas coisas. Comecei a fazer vídeo numa época em que quase ninguém fazia, existiam umas duas ou três apenas que faziam no Brasil. Eu abri essa rede de lojas, coisa que ninguém fez ainda, e eu sempre estou pensando na frente, para tentar me destacar nessa área”.

Alice comenta que existe muita concorrência nesse meio, por isso precisa desenvolver várias capacidades. “Eu sou youtuber, sou maquiadora, sou empresária. Só que tem muita concorrência em todos esses setores, então eu tenho que estar sempre correndo para me destacar”, avalia.

O momento decisivo em que Alice decidiu realmente empreender foi quando se mudou para São Paulo. Ela contratou o próprio marido para trabalhar com ela e, juntos, decidiram ir pra cima. “Meu marido era na época um publicitário renomado dentro de Curitiba.

Ele trabalhou em várias agências, então era uma pessoa importante nesse mercado. Ele morava em Curitiba, eu em Porto Alegre, a gente namorava à distância e aí a gente resolveu morar em São Paulo para os negócios irem para frente”, diz.

Maquiagem com o seu Nome

Um pouco antes dessa mudança, em 2012, Alice já tinha lançado a sua linha de maquiagem. Ela teve o apoio dos irmãos: “Eles são sócios. Tenho um irmão que trabalha em multinacional, então ele estava acostumado com valores maiores, quando foi para dar o passo para abrir uma linha, ele foi tranquilo. Não que ele tivesse o dinheiro, mas já era acostumado a lidar com esses números, então ele me disse: ’vamos abrir sim, vamos lá, vamos em frente’”.

Nesse mesmo ano, um químico enviou alguns produtos para Alice testar e aí surgiu uma linha de maquiagem que não parou mais. “Ele disse: ‘O que acha disso?’ Eu disse: Nossa, sempre quis lançar um produto. Eu queria no começo lançar uma linha de glitters. Daí o químico disse: ‘não, vamos lançar mais coisas’. E aí eu cheguei num jantar em que meus irmãos estavam me esperando, apresentei para eles a ideia, e meus irmãos viram que o negócio poderia prosperar e apostaram comigo. Então foi nesse momento que tudo virou”, explica.

“São tantas pessoas que torcem por mim, sem eu nem conhecer, muitos amigos sem eu nem saber, do amor que eu recebo. Em termos de negócios é bom saber que consigo ter uma influência positiva, por isso eu tenho bastante responsabilidade de falar só sobre produtos que eu gosto. Seguidores são simplesmente essenciais e eu devo muito a eles”

Relação com a Internet

A gente já contou aqui que tudo começou com o blog da Alice. Na época em que ela estava na TV RBS, além do blog pessoal, começou a participar também da página da emissora na internet. “O ClicRBS pediu para hospedar o meu blog, então eu comecei a ver que textos e fotos não eram suficientes para falar sobre maquiagem, foi aí que eu comecei a fazer vídeos, daí é engraçado que eu pensava: se eu começar a fazer vídeos eu vou contar todos os meus segredos, as mulheres não vão querer mais se maquiar comigo. Mas nada a ver, isso foi completamente ao contrário, eu decidi contar tudo o que eu sei e isso foi muito bom”, conta.

Então ela partiu fazer vídeos na internet. Criou um canal no YouTube e uma página no Facebook, que hoje são suas principais ferramentas de trabalho. “Quando eu vi que o YouTube estava explodindo, automaticamente fui para o Facebook, porque no Face a gente anuncia que as coisas estão no YouTube. Então hoje em dia meu Facebook serve 100% para trabalho, eu não faço quase nada de pessoal”, explica Alice.

O Instagram veio depois: “Quando eu vi que ele estava tomando corpo, entrei e também comecei. Então no começo ele servia muito para indicar o que eu colocava de vídeo novo, mas hoje em dia meu Instagram tem a sua vida própria”.

O conjunto dessas ferramentas é “imprescindível”, diz Alice. “É onde a gente se manifesta, onde a gente tem voz. Rede social deu voz para muita gente, isso tem dois lados sempre: bom e ruim, mas muitos momentos melhores do que ruins, senão não iam estar tão presentes em nossas vidas como estão”, avalia.

Alice Salazar
Alice Salazar – foto divulgação
Seguidores Essenciais

Falando em redes sociais, Alice diz que se dá muito bem com seus seguidores. “Lados negativos são muito poucos, porque existem os haters, que são pessoas que odeiam todo mundo. Então a gente acaba sabendo muito bem como lidar com esse tipo de pessoa. Os comentários negativos que são construtivos dá para a gente ver, diferente quando uma pessoa chega e fala: ‘Nossa que feia, ridícula essa roupa’, ou quando alguém chega: “Alice, pode maneirar um pouco nesse nome feio porque você está falando muito palavrão, eu gostaria que a minha filha visse os vídeos comigo e aí eu fico constrangida e não deixo ela olhar’. Então dá para ver como uma crítica construtiva”, reconhece.

O lado positivo, para ela, é todo o apoio que recebe diariamente. “São tantas pessoas que torcem por mim, sem eu nem conhecer, muitos amigos sem eu nem saber, do amor que eu recebo. Em termos de negócios é bom saber que consigo ter uma influência positiva, por isso eu tenho bastante responsabilidade de falar só sobre produtos que eu gosto. Seguidores são simplesmente essenciais e eu devo muito a eles”.

Propósito de Vida

Alice diz que tem como propósito ensinar as pessoas a se amarem através de um momento único. “Meu propósito é tentar dar capacidade para ela se amar, que é fazer um delineador, passar um rímel bem passado, uma maquiagem para ela poder se olhar no espelho e se gostar, se achar mais bonita, e eu tenho muitos relatos de pessoas que já me disseram isso e foi por meio desses relatos que eu comecei a enxergar meu propósito, porque no começo não pensava tanto nisso, eu pensava em ensinar a maquiar e ok. Tem muita gente que diz ter saído da depressão vendo meus vídeos e se maquiando, lógico que eu não me coloco como cura de depressão, precisa de tratamento, só que se elas falam isso, de alguma forma os vídeos ajudaram, e isso é muito importante”, diz.

A maquiadora também tem muitos planos para o futuro: “Eu espero que a minha rede de lojas seja um sucesso, assim como já está sendo onde está presente, que esteja em todo o Brasil. Que a minha linha de maquiagem seja cada vez mais completa, que eu consiga fazer todos os produtos serem muito, muito bons e muito queridos pelo público também. E eu desejo continuar trabalhando com isso, fazer os meus vídeos, passar esse conhecimento, fazer muitos cursos aqui no Brasil e fora também, para poder ter cada vez mais novidades para passar para as pessoas”, planeja.

O sonho dela é ter a casa própria e aumentar a família: “Quero um apartamento bom, bem completo, com tudo o que eu quero, e ter a minha família. Não tenho filhos ainda, mas quero ter, guardei os óvulos para ter os filhos mais tarde, porque agora estou trabalhando muito e estou com 35 anos, então já fiz esse planejamento, de ter a minha família completa numa casa que eu goste muito e ser feliz”.

Alice Salazar
Alice Salazar – foto divulgação

Dica para quem quer usar a internet como ferramenta de trabalho

Alice Salazar é bem direta quando perguntada como usar a internet como ferramenta de trabalho: “Primeiro a pessoa tem que saber sobre o que vai falar e, só depois, vai para a internet”. Ela explica que a propriedade sobre o assunto que vai ser falado é fundamental, a pessoa precisa ser especialista em algum ramo e focar nele.

“Quando eu comecei a falar sobre maquiagem, eu maquiava oito pessoas por dia, tinha uma experiência muito grande e já trabalhava há anos com a minha mãe. Então eu sabia sobre o que ia falar, foi por isso que eu consegui me destacar. Tem muita gente fazendo isso, mas tem muita gente que é advogado, que é dentista, que é administrador… Tem que começar, só que partindo de um conhecimento bem vasto”, aconselha.

Da Redação

Anúncios