‘A Terra é um Laboratório para Exploração de outros Planetas’, diz engenheiro aeroespacial


Nascido em Ribeirão Preto, Gustavo Baldo Carvalho falou sobre exploração do espaço e o trabalho que realiza na Agência Espacial Europeia, na Alemanha

Gustavo Baldo Carvalho – foto Guilherme Bordini

“A Terra é um grande laboratório para a exploração de outros planetas em busca de recursos naturais”. A afirmação é do engenheiro aeroespacial ribeirão-pretano Gustavo Baldo Carvalho, 46 anos, que nesta terça (6 de agosto), participou de palestra na Escola Estadual Professor Alcides Corrêa, onde fez o primeiro grau nos anos 1970 e 80, época em que descobriu a paixão pelas coisas do espaço ao assistir no cinema ao filme “Flash Gordon”.

Durante sua fala, dirigida a estudantes, professores, pais de alunos e ao público em geral, Gustavo relembrou sua trajetória profissional até chegar à Agência Espacial Europeia, na Alemanha, e aconselhou: “Encarem a vida como uma missão guiada. Nunca parem de sonhar, nunca desistam de uma paixão, não briguem com seus sonhos”.

E foi acreditando em seu sonho que o engenheiro chegou onde queria. Gustavo fez o segundo grau no Otoniel Mota, também em Ribeirão Preto, formou-se em Engenharia Mecânica Aeronáutica pela USP de São Carlos, fez mestrado no Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em São José dos Campos, trabalhou na Embraer, partiu para Israel e Bélgica, até se instalar em Darmstadt, uma cidade alemã com pouco mais de 150 mil habitantes, na região de Frankfurt, onde está localizado o ESOC (Centro de Controle Espacial Europeu).

Na Alemanha, Gustavo integra uma equipe de seis pessoas – além dele, um norte-americano, um português, um inglês, um alemão e um russo -, responsável por treinar os times para o controle de satélites após seus lançamentos. “Três meses antes de um lançamento, iniciamos toda a simulação de como será feito o trabalho. Neste período são corrigidas falhas e aperfeiçoados processos, bem como são imaginados os problemas que podem ocorrer nas operações de lançamento e navegação”, afirmou o engenheiro, que calcula já ter participado de 15 missões para colocar satélites no espaço desde 2011.

Gustavo Balbo Carvalho – foto Guilherme Bordini

Seu próximo passo, iniciado no ano passado, é colaborar com o lançamento de uma sonda em 2022 que tem por objetivo chegar a Júpiter em 2030. “O propósito de toda missão como esta é verificar se, fora da Terra, existem recursos que possam vir a nos auxiliar.

Em Júpiter não vai ser diferente. Vamos ver se encontramos algo por lá”, explicou. E tem sido assim ao longo de toda a história da humanidade. Em sua palestra, o engenheiro aeroespacial comparou a chegada do homem à Lua, em 1969, às explorações por caravelas que culminaram com a descoberta da América, em 1492. “O espaço é a nova América da humanidade”, disse.

A palestra de Gustavo Baldo Carvalho em Ribeirão Preto integrou a programação oficial do projeto European Space Talks, desenvolvido pela ESA, a Agência Espacial Europeia, para comemorar os 50 anos da chegada do homem à Lua. O Brasil é o único país fora do continente europeu a sediar as atividades do programa. Além de Ribeirão Preto, São José dos Campos e São Carlos também receberam as palestras do engenheiro aeroespacial ribeirão-pretano.


Por Angelo Davanço

Anúncios