Como usar o Cartão de Crédito para que ele não seja vilão das Finanças Pessoais

Especialista dá dicas para o melhor uso da ferramenta, como programas de fidelidade e até cashback

Segundo pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Câmara de Dirigente Lojistas (CNDL), o cartão de crédito é um dos principais vilões para o endividamento que leva as pessoas a ficarem com nome sujo no Brasil. Cerca de 66% dos entrevistados têm dívidas em atraso com o produto.

Por falta de controle ou planejamento financeiro, muitas pessoas acabam consumindo mais do que podem e, quando estão altamente endividadas, costumam colocar a culpa do desequilíbrio financeiro no cartão de crédito. Mas Carlos Terceiro, CEO do Mobills, aplicativo completo para gestão de finanças pessoais, explica que antes de qualquer julgamento, é importante ter a consciência de que o cartão nada mais é do que uma ferramenta.

“Toda ferramenta, se for mal utilizada, é capaz de provocar grandes estragos. Por outro lado, se usada com sabedoria, proporciona ao seu usuário diversas vantagens e benefícios. Com o cartão de crédito não é diferente!”, explica o especialista.

Por esse motivo, Carlos Terceiro lista abaixo algumas dicas sobre como utilizar o cartão de crédito sem passar dos limites. Confira:

• Elabore o seu planejamento financeiro

Ao fazer o planejamento financeiro antes de usar o cartão de crédito, será possível se programar e saber quanto é possível gastar no cartão de forma a ter dinheiro para pagar o valor total da fatura na data do vencimento. Outra dica é se planejar para pagar as despesas do dia a dia sempre com dinheiro, pois ao ver o dinheiro saindo do bolso é mais provável que a pessoa reflita de maneira mais consciente sobre a necessidade da compra. Aqui também é fundamental anotar todos os gastos feitos com o cartão, só assim será possível ter uma análise completa da situação financeira.

• Limite os gastos do cartão a no máximo 50% do salário

Ao utilizar o cartão de crédito, temos a falsa sensação de que o dinheiro não está saindo da conta. Isso pode ser definido como “a prazerosa ilusão de comprar sem gastar um centavo”. Entretanto, o pesadelo começa no momento em que a fatura chega à residência ou e-mail. Para evitar maiores problemas com juros, o limite do cartão de crédito deve ser, no máximo, 50% da receita líquida, ou seja, daquilo que a pessoa após todos os descontos.

• Tente ao máximo pagar o valor total da fatura

Pagar somente o valor mínimo da fatura do cartão pode elevar a dívida em níveis impagáveis. Isso se deve ao fato do cartão ser uma das modalidades mais caras de financiamento. Caso tenha dificuldades para pagar o valor total da fatura, uma opção é tomar dinheiro emprestado no crédito pessoal, pagar o cartão à vista e parcelar esse novo empréstimo, pois os juros costumam ser bem menores.

• Fique atento aos programas de vantagem e cashback

A maioria dos cartões de crédito contam com programas de recompensa e vantagens. Um bom exemplo é o programa de milhas. Quando você compra com determinados cartões, acumula pontos que podem, posteriormente, serem trocados por milhas e passagens aéreas. Além disso, alguns cartões oferecem descontos de até 50% em cinemas, teatros, jogos de futebol ou em compras feitas em redes de lojas parceiras.

Outro cartões oferecem cashback nas compras, como o Cartão Méliuz, que devolve até 0,8% do valor de todas as compras. Além disso, os consumidores também recebem 1% de cashback extra em compras feitas com o cartão nas lojas online parceiras, iniciadas pelo site ou app do Méliuz. O saldo fica pendente no extrato Méliuz do cliente e pode ser resgatado a partir de R﹩20 diretamente para a conta bancária ou poupança do consumidor, sem nenhum custo.

Este conteúdo de divulgação comercial é fornecido
Por Gabriela Cardoso | Fala Criativa
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br