Teve uma ideia? Que tal buscar Ajuda para Financiar?

Carlos Alberto Cordeiro de Sá – foto Guilherme Bordini

Plataformas de crowdfunding permitem viabilizar projetos com a ajuda financeira de amigos e até de desconhecidos que se interessem por sua causa

Você é ilustrador, escritor, músico, ator? Trabalha com artes em geral e quer lançar uma nova história em quadrinhos, um livro, um disco ou produzir um filme? Mas não só isso. Precisa de dinheiro para ajudar no financiamento da casa própria, quer comprar um jogo novo ou até mesmo fazer a viagem dos sonhos? Que tal contar com a ajuda dos amigos e até de pessoas que nem o conhecem, mas que se interessem por sua causa e estão dispostas a colaborar com dinheiro? Estes são os princípios básicos do crowdfunding, ou financiamento coletivo, modalidade de arrecadação de recursos que está ajudando muita gente a tirar ideias e projetos do papel.

Gente como o arquiteto e urbanista por formação, Carlos Alberto Cordeiro de Sá, 47 anos, quadrinista, escritor, produtor e agitador cultural por paixão. Em 2016, depois de experimentar projetos baseados em leis de incentivo à cultura, resolveu apostar no crowdfunding para lançar o livro infantil A Ema e o Sonho. “Naquele tempo já era muito chato ficar tentando mandar portfolio e currículo para editoras e não receber resposta alguma, ou ficar aquela enrolação e depois você ver material que não era tão bacana quanto o que você tinha preparado, publicado, e o seu não, isso era sempre muito frustrante. Então, pensei: Quer saber, eu vou fazer o meu trabalho, me tornar o meu próprio editor, falar com o meu público específico”, relembra.

De lá para cá, além de A Ema e o Sonho, que escreveu e ilustrou, Cordeiro de Sá já viabilizou outros três projetos de crowdfunding, os álbuns de quadrinhos Cospe Fogo, com Arnaldo Jr., RP HQ Chico Lorota, com a participação de vários artistas de Ribeirão Preto (SP), onde vive, e Téo & O Mini Mundo, de Caetano Cury. Projetos realizados entre 2016 e 2019 que variaram de R$ 12 mil a R$ 65 mil arrecadados, o que demonstra que campanhas de crowdfunding podem ter variados tamanhos.

“O bacana do crowdfunding é você pensar qual que o seu público alvo usa mais. Se ele usa mais uma plataforma que ninguém conhece, mas é lá que o seu público está, não interessa, vai lá e mostra a sua campanha” (Cordeiro de Sá)

E cada campanha pode ser de um tipo. Na campanha Flex, você já tem parte do dinheiro para bancar seu projeto, mas precisa de um complemento, de um apoio. Ao final, mesmo se não bater a meta estipulada, o dinheiro arrecadado pode ser utilizado para ajudar a lançar o produto, realizar o projeto ou custear o sonho. Já na campanha Tudo ou Nada, caso a meta não seja batida, todo o dinheiro arrecadado é devolvido para quem se dispôs a ajudar e o proponente não precisa finalizar o seu projeto via crowdfunding. E existem ainda as campanhas de Assinatura, uma espécie de mecenato, em que as pessoas interessadas podem ajudar com um valor mensal para que um trabalho seja realizado. Mas, independente do formato, quem promove uma campanha de financiamento coletivo deve ter muita clareza no que está oferecendo. “É preciso avaliar muito bem qual sua real capacidade de produção daquilo que você está oferecendo, pois às vezes você promete um produto que não dá conta de fazer, ou que não dá conta de entregar por questões de logística que não foram calculadas antes, então é preciso fazer um plano de negócios, um planejamento de produção”, aconselha. “Outro ponto muito importante é o tempo de duração de um projeto. Campanhas de sucesso têm de 30 a 45 dias, mais que isso as pessoas acabam esquecendo, menos que isso as pessoas não veem, então tudo tem que ser muito bem planejado”, finaliza Cordeiro de Sá.

Usos do Crowdfunding

O financiamento coletivo vem ganhando cada vez mais espaço no mercado, conseguindo atender satisfatoriamente necessidades pontuais para captação de recursos e até doadores assíduos para o projeto ou proposta lançados na plataforma.

O que significa? (Crowd = Multidão) + (Funding = Financiamento)Forma de financiamento que origina na multidão, popularmente conhecido como financiamento coletivo.

Como funciona?
1. Você tem uma ideia, um projeto e deseja captar recurso financeiro para viabilizar;
2. Por meio de plataformas de crowdfunding na internet, você lança o seu projeto e fomenta a sua divulgação para conseguir pequenos investidores interessados na sua proposta;
3. Na plataforma existem muitos investidores procurando uma boa ideia, então divulgue bastante para conseguir interessados em apoiar o seu projeto;
4. Diante da proposta de valor, seja pelo oferecimento de recompensas ou pelo objetivo comum identificado pelos interessados em investir no seu negócio, você poderá conseguir alavancar o seu empreendimento.
Quando utilizar?

Projetos de cunho artístico
Aqui a ferramenta de crowdfunding é viável para promover a democracia cultural, despertando o interesse de um público que se identifique com o tipo de arte apresentada e se sinta motivado a apoiar o projeto.

Projetos de impacto social
As campanhas relacionadas a projetos sociais são bem vistas por pessoas engajadas em ações de cunho social e que muitas vezes não sabem como contribuir. A utilização do crowdfunding também é uma forma de promover a visibilidade do projeto e incentivar outras pessoas a apoiá-lo.

Testar produtos/serviços
Este tipo de fonte alternativa também é indicado para empresas que desejam validar a sua ideia. O crowdfunding pode ser uma grande saída principalmente para produtos inovadores que possam oferecer exclusividade para os colaboradores da campanha. Aqui será possível testar a aceitação do mercado, receber feedback e muito mais.

Financiar ideias
Uma ótima opção para empreendedores para viabilizar a ideia inicial e tentar tirar o projeto do papel. Aqui o crowdfunding pode ser indicado para a aquisição de pequenos equipamentos e materiais essenciais para os primeiros passos.
fonte: SEBRAE

Campanhas podem oferecer Recompensas

Além de ter garantido o produto que ajudou a financiar, o participante de uma campanha de cro-wdfunding pode levar um brinde ou recompensa para casa. “Recompensas são produtos adicionais, ou mimos, por exemplo, um livro autografado pelo autor, ou um desenho original. A pessoa deve oferecer algo que agregue ao projeto. Não dá para colocar qualquer coisa só para dizer que tem um brinde, tem que ser coisas que ampliem o projeto e não apenas um presentinho”, alerta Cordeiro de Sá. E também não dá para exagerar.

“Tem campanha com tanta recompensa que fica até confuso, é como em um restaurante self service, tem tanta opção de pratos que você não consegue escolher direito”, avalia.


Veja as plataformas de crowdfunding mais conhecidas no Brasil:

Catarse – http://www.catarse.me
Kickante – http://www.kickante.com.br
Vakinha – http://www.vakinha.com.br

Por Angelo Davanço