fbpx

O Tradutor da Linguagem Médica na Internet

Dayan Siebra
Dayan Siebra – foto: Molla

O médico Dayan Siebra, sucesso de público no YouTube e mídias sociais, conta a razão de ter trocado o jaleco e o consultório médico pelas lentes de sua câmera de celular

O cearense natural de Crato, Dr. Dayan Siebra, se denomina como “tradutor da linguagem médica”. Isso porque, o profissional é responsável por produzir conteúdo de qualidade, de forma divertida e sem, como ele mesmo diz, palavreados difíceis e científicos, com intuito de ajudar o maior número de pessoas a mudar seu estilo de vida e não se tornarem reféns de remédios e alimentos ultraprocessados. “Eu me reconheço como médico do povo. Hoje em dia, não atuo mais como cirurgião vascular e ortomolecular, mas me dedico à comunicação médica”, conta Dayan e confessa que os vídeos disponíveis são gravados por ele, com o auxilio de sua câmera de celular.

O interesse pela medicina desabrochou ainda na infância, ao descobrir o amor e cuidado que sua mãe tinha pelas pessoas. “Via ela, apenas uma dona de casa, cuidando de todos que moravam perto de casa. Passava chás e prescrevia remédios. Comecei, desde muito cedo, a entender que era muito gratificante ajudar o próximo, especialmente aqueles que mais carecem de atenção”, lembra com carinho. Além de sua mãe, Dayan contou com a influência de seu tio, Toinho Siebra, para afirmar sua real vocação. “Ele matava bode e cabras, e eu achava muito bonito o ofício de lidar com a anatomia, mexer com carne, estancar o sangramento e retirar o couro do animal. Pensei que poderia usá-lo, de alguma forma, para ajudar as pessoas, da mesma forma que minha mãe fazia”, completa.

A fusão das experiências presenciadas nos primeiros anos de vida ajudou Dayan a trilhar seu caminho para a medicina. O profissional, fascinado por desafios, descobriu, ainda na faculdade, sua aptidão com o manuseio das áreas mais delicadas do corpo humano. “Gostava de dissecar cadáveres, principalmente as partes mais desafiadoras, como vasos, veias e artérias; para mim era algo muito empolgante”, diz, e salienta que após 10 anos como cirurgião vascular, resolveu se especializar também na área da medicina ortomolecular. “Notei que só operar não resolvia a vida dos pacientes. Eu tinha que ir mais a fundo, por isso busquei conhecimento na biologia molecular, vitaminas e minerais”.

“Comecei, desde muito cedo, a entender que era muito gratificante ajudar as pessoas, especialmente aquelas que mais carecem de suporte”

Mudança Extrema

Já estabelecido profissionalmente, Dayan passou por um divisor de águas, que viria mudar todo o seu estilo de vida e como ele enxergava sua profissão. “Levava uma vida comum à de muitos colegas. Trabalhava muitas horas por dia, por conta de atendimento particular, planos de saúde e SUS. Contudo, vendia saúde às pessoas, mas, eu mesmo, estava me descuidado. Me tornei obeso, hipertenso, estressado, ansioso, sem falar nas taxas elevadas que sempre apareciam nos meus exames”, conta, enfatizando que essa rotina não lhe proporcionava nenhuma melhoria. “Não tinha tempo para cuidar de mim mesmo, só trabalhava e não crescia nem profissionalmente e nem financeiramente”.

Até que um dia, a rotina desenfreada e a negligência com sua saúde foi cobrada. “Fui vítima de um ataque de pânico quando dirigia com minha mãe ao meu lado. Tive um mal súbito, onde meu coração começou a palpitar muito forte; eu quase sofri um AVC. Naquele momento, soube que era hora de mudar drasticamente tudo que estava fazendo”, conta.

Para minimizar os riscos e não passar por esse mesmo problema, o médico optou por fazer uma mudança drástica, porém necessária, segundo ele, para se tornar quem realmente desejava ser. “Larguei o modelo tradicional de trabalho e tudo que me prendia. Fui atrás de conhecimento com Tony Robbins, coach americano, que trata de inteligência emocional e negócios”, compartilha a mudança, com intuito de ajudar outras pessoas a tomarem decisões mais assertivas sem ter que passar pelo susto que passou.

Um Novo Recomeço

Os números são surpreendentes: 4,77 milhões de inscritos e 332.261.440 visualizações em seu canal do YouTube, sem falar nos vídeos de linguagem fácil e descontraída, como, por exemplo, “O que comer no café da manhã?” que somam, aproximadamente, 2,3 milhões de visualizações. Mas, segundo o profissional, mudar de carreira não foi algo fácil. “Estava insatisfeito com a minha profissão. Queria levar todo o meu conhecimento para mais pessoas. Até que um belo dia, vendo os vídeos do Felipe Neto e do Whindersson Nunes, percebi que eles conseguiam, ao mesmo tempo, passar uma mensagem, divertir as pessoas e ganhar dinheiro. Isso me deixou muito curioso e pensei: por que eu não posso fazer isso também com a medicina?”, lembra.

Mesmo superando desafi os pessoais, como a mudança de estilo de vida e carreira, Dayan precisou enfrentar outro embate. “Precisava de dinheiro para sobreviver, porque tinha uma renda boa no consultório. No começo, não ganhava o bastante para sobreviver e tive que contar com a ajuda da minha esposa. Além do quesito financeiro, tive que enfrentar as críticas de alguns familiares e colegas de profissão”, relata, mas frisa que contou com a aceitação do público e de seus clientes no começo da nova carreira profissional.

“Eu me reconheço como médico do povo. Hoje em dia, não atuo mais como cirurgião vascular e ortomolecular, mas me dedico à comunicação médica”

Muito Mais que um Canal

Sucesso à parte, Dayan comenta que sua missão é passar todo conhecimento aprendido em graduações, cursos de coach e ensinamentos passados pela sua mãe, para pessoas que almejam mudar, mas, por algum motivo, são impossibilitadas de realizar tal ato. Para isso, ele, incansavelmente, trabalha em conjunto com uma equipe de profissional que planejam conteúdo e ações gratuitas na internet para tornar a vida mais saudável. “Procuro juntar a minha expertise de medicina, vascular e molecular, com ensinamentos de coach para produzir vídeos”, diz, frisando que toda fama adquirida é um ponto positivo e importante. “As pessoas me param na rua para falar do impacto que os vídeos fizeram em suas vidas. É muito gratificante e fator indispensável para ter um negócio duradouro”.

Segundo Dayan, só conseguimos, de fato, ter fãs na nossa empresa, quando nos dedicamos, damos amor e entregamos o que eles, no caso os seguidores, realmente necessitam. “Não adianta ser um personagem falso e ser maravilhoso na internet, se você não abre as portas da sua vida para eles. As pessoas precisam entender que você é uma pessoa de verdade, gente como eles”, enfatizando que para cumprir essa missão dedica-se de 8 a 10 horas de seu dia estudando e à procura de novos meios de passar conteúdo de qualidade. “Os vídeos não são trabalho para mim, são diversão”, finaliza.

Por Camila Rodrigues