fbpx

Megatendências dos Negócios

Arquivo Pexels

Analistas apontam com alto grau de concordância as principais tendências dos negócios para os próximos anos:

1. Inteligência emocional no ambiente empresarial

Inteligência emocional é a capacidade de reconhecer e entender as emoções de si mesmo e as dos outros, e a capacidade de utilizar essa informação para gerenciar o comportamento e as relações. Somente 35% das pessoas são capazes de identificar corretamente suas emoções quando as estão experimentando, não conseguindo utilizá-las a seu benefício, incluindo numa reunião ou negociação. Passa a ser, portanto, um importante diferencial competitivo para aqueles que o possuem naturalmente ou o desenvolveram. A inteligência emocional pode, sim, ser desenvolvida, e esse aprendizado começa com o autoconhecimento e a consciência social para, depois, desenvolver a autogestão e a gestão das relações sociais.

2. Intraempreendedorismo

A habilidade de empreender dentro das empresas passou a estar no radar dos recrutadores. Trata-se de viver e cuidar da empresa como se fosse sua. Apesar de algumas resistências conservadoras a esse perfil de profissional, estão comprovados seus benefícios: os intraempreendedores se empenham em analisar cenários, sugerir ideias e inovações, além de terem faro para encontrar oportunidades e falhas na empresa.

3. Transformação digital

Como afirma o CEO da Starbucks, Kevin Johnson: “A empresa tem que ter presença física e digital, ter estreito relacionamento com o cliente, e deve acrescentar a genética digital se quiser sobreviver”. Lembrando, porém, como diz Satya Nadella, CEO da Microsoft: “A transformação digital não é apenas tecnologia, é também sobre pessoas (clientes, funcionários e acionistas)”.

4. Nova criação de valor

O papel da corporação está mudando. Não é mais apenas criar valor para o acionista, é criar valor social e compartilhado para funcionários, clientes e acionistas. As empresas devem levar relevância para seus clientes: produto e preço são importantes, assim como tornar a vida do cliente mais fácil.

5. Principais tendências apresentadas na NRF 2020

Em Nova Iorque, em janeiro deste ano, a maior feira de varejo do mundo apresentou como tendências:

a) Ressignificação das loja
Antes: Varejo é loja física; Loja é para vender; Loja vende o que tem; Loja vive sozinha.
Depois: Varejo também é loja física; Loja é para atrair e se relacionar; Loja vende o que o cliente quer; Loja depende de integração

b) Tecnologia aplicada ao varejo é cada vez mais constante, no entanto, quando existe interação com alguém real, a taxa de conversão é bem maior.

c) Omnichannel (integração das lojas física e virtual) continua sendo a principal tendência do varejo.

d) Grandes “pavões que viraram espanadores”: A miopia de mercado quanto à necessidade de transformação digital levaram à falência grandes ícones do varejo norte-americano: Sears, ToysRus, Nine West, The Limited, Circuit City, Sport Authority, entre outros.

e) Futuro do varejo físico: Será ótimo, mas também doloroso, porque muitas empresas sofrerão e até desaparecerão. A boa notícia, no entanto, é que os players digitais agora entendem que precisam das lojas físicas. E quando bem executada, a experiência da loja física é incomparável.


leopoldo andretto.fw

Prof. Leopoldo Andretto
@leoandretto
abeeon.com/andretto

Graduado e pós graduado pela FGV, com cursos de especialização na Universidade da Califórnia, San Diego, que possui 16 Prêmios Nobel (dois em Economia), onde é palestrante convidado e coordenador dos cursos de Gestão Estratégica e Inovação para executivos do Brasil. Foi coordenador dos MBAs da FGV Management, sendo atualmente consultor empresarial nas áreas de Estratégia e Gestão de Inovação.