fbpx

BTG Pactual lança seu primeiro ETF ESG no Brasil com base em índice inovador e com carteira diversificada

BTG Pactual criou um fundo de índice ESG baseado no S&P/B3 Brazil ESG Index, recém-lançado pela S&P Dow Jones

São Paulo, 05 de outubro de 2020 – O BTG Pactual (BPAC11), maior Banco de Investimentos da América Latina, anuncia hoje ao mercado brasileiro o ETF (ESGB11), fundo de índice negociado em bolsa que considera aspectos ambientais, sociais e de governança (ESG) das empresas constituintes.

Trata-se do primeiro ETF de um índice ESG com ampla representatividade de mercado – composto por 96 ações -, que oferece aos investidores uma nova opção de investimento em empresas comprometidas com melhores práticas de sustentabilidade. O ESGB11 replicará a carteira que integra o Índice recém-lançado na B3 – S&P/B3 Brasil ESG (SPBRESBP). Esse índice é inovador pois além de ter uma carteira bastante diversificada, utiliza as notas ESG como principal fator de ponderação.

O novo fundo está disponível na plataforma do BTG Pactual digital e também será distribuído por outros parceiros do mercado. O ESGB11 chega para atender uma demanda de investidores que valorizam ESG como parte de suas estratégias de investimento. “O mercado de ETFs ESG já é bastante desenvolvido em outros países, com fundos consolidados, mas ainda pouco explorado no Brasil. Estamos suprindo uma agenda que tem grande potencial de crescimento nos próximos anos”, complementa Andrea Cardia, sócia e gestora de renda variável da BTG Pactual Asset Management.

Entre os principais diferenciais dos ETFs com relação a outros ativos estão: baixas taxas de administração, liquidez imediata, baixo investimento mínimo e simplicidade.

“O novo produto consolida e amplia as práticas ESG do Banco. A agenda ESG é obrigatória e queremos oferecer aos nossos clientes de todos os segmentos oportunidades para investirem em empresas que tenham boas práticas ESG”, diz Beatriz Freitas, Diretora Executiva e Head de ESG do BTG Pactual. No início do ano, o Banco lançou a frente de negócios de impacto, que fomenta a criação de produtos e serviços que unam retorno financeiro com impacto socioambiental positivo.

O S&P/B3 Brasil ESG, estruturado pela S&P Dow Jones – divisão da S&P Global – é um índice com alta diversificação: as 10 maiores empresas representam 39% do total do Índice ESG versus 45% no Ibovespa e 62% no ISE. Estudos da S&P mostram que o Índice apresentou um dos melhores desempenhos do mercado no acumulado médio e longo prazos e com a melhor relação de risco/retorno.

“Recentemente, aspectos ESG passaram a ter relevância sem precedentes para investidores e vimos uma demanda crescente por índices que incorporam dados e princípios de sustentabilidade em suas metodologias” diz Reid Steadman, Diretor Executivo e Chefe Global de Índices ESG da S&P DJI. “Estamos entusiasmados em trabalhar com o BTG Pactual e a B3 no desenvolvimento deste índice inovador, que tem como finalidade permitir que os investidores brasileiros atinjam seus objetivos de investimento ESG”, complementa Steadman.

O Índice S&P/B3 Brasil ESG segue o sistema de avaliação ESG reconhecido internacionalmente e utilizado no índice Dow Jones Sustainability Index. “Esse índice tem uma característica inclusiva por partir de um universo grande de empresas e utilizar a performance ESG como principal fator de ponderação, o que permite empresas ampliarem sua participação à medida que avancem em suas agendas de sustentabilidade. Acreditamos que esse índice vá fomentar melhores práticas ESG no mercado de capitais brasileiro”, diz Andrea Weinberg, sócia e gestora de renda variável da BTG Pactual Asset Management.

Acompanhe aqui mais notícias sobre negócios.

Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por FSB Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br