fbpx

World Payments Report 2020: o COVID-19 provocará o fim dos pagamentos em dinheiro?

Uma receita de maior volume de pagamentos, mudanças no comportamento do consumidor e maiores riscos criam um novo cenário para os pagamentos

Paris, 8 de outubro de 2020 – As empresas de pagamento estão sendo empurradas rapidamente para a transformação, mesmo enquanto lidam com volumes de transações maiores, enfrentam maior concorrência e veem os fatores de risco amplificados pelo COVID-19, de acordo com o World Payments Report 2020 publicado pela Capgemini.

O COVID-19 acelerou a taxa de inovação no mercado de pagamentos para formar rapidamente o “próximo normal”, exigindo que as empresas de pagamentos sejam mestres digitais quase da noite para o dia. Agora, mais do que nunca, os provedores de pagamentos precisam entregar ofertas diferenciadas que enfatizem velocidade, conveniência e uma excelente experiência de ponta a ponta para o cliente“, afirmou Anirban Bose, CEO de Serviços Financeiros e membro do Conselho Executivo do Grupo da Capgemini. “Atualmente, estamos vendo bancos e companhias de pagamentos visionários priorizando diligentemente a transformação da tecnologia e adotando ativamente uma abordagem de “curar e colaborar” ao se unir a novos jogadores ágeis para criar organizações mais dinâmicas”.

Antes do início da pandemia, os volumes de pagamento atingiram novos patamares, que devem continuar, mas em um ritmo que reflete tanto a crescente dependência de transações não monetárias quanto o efeito de uma economia global enfraquecida. O relatório prevê que uma taxa composta de crescimento anual (CAGR em inglês) de 12% é esperada para transações não monetárias globais para 2019 a 2023. As transações globais não monetárias aumentaram quase 14% de 2018-2019 para alcançar 708,5 bilhões de transações – a maior taxa de crescimento registrada na última década. A Ásia-Pacífico ultrapassou a Europa e a América do Norte para se tornar o líder em volume de transações não monetárias de 2019 com 243,6 bilhões. Crescimento impulsionado pelo aumento do uso de smartphones, e-commerce em expansão, adoção de carteira digital e inovações de pagamentos móveis/QR-code, liderados pela China, Índia e outros mercados do sudeste asiático (com crescimento de 31,1%).

O aumento da concorrência força os provedores de pagamentos tradicionais a evoluir
Os clientes estão deixando de usar o dinheiro à medida que a afinidade por pagamentos digitais cresce. Novos jogadores estão rapidamente se tornando mais populares, com o relatório descobrindo que 30% dos consumidores estão usando uma BigTech (empresas como Google, Apple, Amazon etc) para serviços de pagamento e 50% já estão usando um banco “desafiador” para alguns pagamentos. Além disso, em abril de 2020, mais de 38% dos consumidores disseram ter descoberto um novo provedor de pagamento durante o lockdown. O Internet Banking e as transferências diretas de contas foram, e ainda são, o método de pagamento preferido durante a crise de saúde global, de acordo com 68% dos respondentes da pesquisa com consumidores. Os cartões sem contato (toque para pagar) vêm em segundo lugar, com 64% afirmando que os usam com frequência. Já as carteiras digitais (incluindo pagamentos baseados em QR) foram a escolha preferida de 48% dos entrevistados.

Os pagamentos alternativos podem continuar a aumentar o espaço para pagamentos sem dinheiro, à medida que os consumidores buscam velocidade, conveniência e uma experiência superior do cliente. Os usuários de carteiras digitais devem saltar de 2,3 bilhões em 2019 para 4 bilhões em 2024 – 50% da população mundial. Pagamentos invisíveis ou processos de pagamento automatizados, como os encontrados nas lojas Amazon Go e Uber, estão a caminho de atingir 51% CAGR entre 2017-2022.

A tecnologia e a colaboração podem ajudar as empresas de pagamentos a lidar com riscos crescentes
À medida que o mercado continua seu processo de disrupção e mais opções de pagamento se tornam disponíveis, as empresas de pagamentos precisam lidar com o aumento do risco nos negócios, na regulamentação e nas operações. Os executivos de pagamentos afirmam que as empresas estão expostas a riscos como segurança cibernética (42%), regulamentar (37%), operacional (35%) e comercial (30%). Enquanto 87% dos executivos acham que enfrentam uma alta probabilidade de vulnerabilidades cibernéticas, pois os criminosos estão explorando as exposições abertas pelo bloqueio do COVID-19, que aumentam o risco de ataques cibernéticos, a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo. As empresas de pagamento estão ativamente recorrendo à tecnologia para ajudar a aliviar a exposição a novos riscos.

Para tesoureiros corporativos que enfrentam desafios e ineficiências no business-to-business, a pandemia exige que olhem para o digital como a solução para enfrentar o risco de contraparte, soluções de conectividade, automação de pagamentos e segurança cibernética. Os tesoureiros corporativos agora estão procurando seus bancos e firmas de pagamentos para fornecer integração aprimorada por meio de APIs, gerenciamento de risco e pagamentos e rastreamento em tempo real.

Enquanto os executivos dos bancos classificaram a inovação visível para o cliente (79%) e a transformação digital (75%) como os principais impulsionadores de suas iniciativas estratégicas para 2020 e além, a transformação de pagamentos parece inevitável. A colaboração como parte dessa transformação pode ajudar com a incerteza causada pela pandemia, à medida que os reguladores se concentram em abordar os riscos, especialmente com pagamentos que não sejam em dinheiro. Os bancos estão buscando ativamente duas maneiras diferentes de obter um back-end mais enxuto e ágil que possa acompanhar o ritmo de um front-end digital, seja desenvolvendo recursos internos ou trabalhando com novos participantes digitalmente ágeis. Além de desenvolver recursos internos, 60% dos executivos de bancos acreditam que trabalhar com terceiros em toda a cadeia de valor os ajudará a aumentar as propostas baseadas no ecossistema.

Para saber ainda mais, veja o material abaixo e consulte a pesquisa na íntegra: World Payments Report (WPR) 2020_Web (1).pdf

Você também vai gostar de ler: O que esperar dos Sistemas Financeiros durante e após o coronavírus?

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por Ketchum Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br