fbpx

O que interessa em uma sala de aula?

O que interessa dentro de uma sala de aula? Essa é uma pergunta que sempre me faço quando monto uma aula ou treinamento. Apesar de ter passado boa parte da infância e da adolescência dentro de salas de aula, na faculdade esse questionamento surgiu com muita força na minha cabeça. Eu frequentei um curso superior integral em universidade pública e, por tradição, nesse tipo de curso a gente passa MUITO tempo dentro de uma sala de aula. Sempre achei – e ainda acho – excessivo esse tempo assim como achava – em alguns casos, ainda acho – inadequada a forma de dar aula dos professores. Até que eu mesmo me tornei professor e percebi que é bem mais difícil do que parece.


Em minhas primeiras experiências como docente eu estava preocupado em me provar, em mostrar que eu sabia. Estratégia: encher de conteúdo, como os professores que critiquei. Assim, eu poderia mostrar todo meu repertório e estaria acima de qualquer questionamento. O resultado? Péssimo, alunos entediados e pouco engajamento com a aula. Nossa primeira reação é, como os professores que critiquei, culpar os alunos. Contudo, em uma das aulas eu tinha uma amiga e colega de trabalho como aluna. Ela tinha consideração por mim, estava interessada no assunto e se esforçando para prestar atenção na aula. Em vão. Naquele dia eu entendi que precisava mudar minha abordagem completamente.


Apesar de todas as críticas ao método tradicional usado no ensino superior, o foco em pesquisa da universidade pública me ensinou um aspecto fundamental: que mais importante que ter as respostas certas é saber fazer as perguntas certas. Hoje, depois de mais de 15 anos dando aulas, treinamentos, mentorias e consultorias, entendi que mais importante do que o conteúdo que você entrega – as respostas – é que um bom professor deve criar um ambiente que estimule o aluno a pensar e perguntar.


Por que pensar e perguntar? Por que quando o aluno faz as perguntas certas ele trilha o caminho com suas próprias pernas. Dessa forma, sempre me pergunto antes de montar um aula? O que realmente importa? Qual é o conceito ou qual a lógica que dá razão para que a sala de aula seja mais do que ler um livro ou apostila? Depois, qual a minha experiência com o assunto? E por fim, como criar uma experiência que o faça sentir e refletir naquele assunto? Em um mundo com cada vez mais informação disponível, o papel do professor não é mais – como dizíamos – passar a matéria, mas criar um ambiente onde ela tenha significado.

Acompanhe aqui mais artigos do colunista Thiago Franco


Thiago Franco
@thiagofranco.coach

abeeon.com.br/ thiago-franco
Especialista em liderança e CEO da Turnus, startup de gestão de escalas de trabalho. Atua como coach, professor e consultor, desenvolvendo pessoas para pensar de maneira mais estratégica e se conectar melhor com outras pessoas.