fbpx

Programa Olist Tech Start tem 25 vagas para jovens desenvolvedores

Com o objetivo de contratar e formar jovens talentos de todo o país em programação Python, o Olist – startup que ajuda quem quer vender a encontrar quem quer comprar – criou o Programa Olist Tech Start . Os treinamentos têm duração de 3 meses e, após esse período, os novos olisters “colocam a mão na massa” de fato. São vagas remotas para qualquer lugar do país ou presencial em Curitiba ou São Paulo, de acordo com a preferência do candidato, no regime CLT e abertas também para PcDs.

Já se sabe que, no mercado de tecnologia, sobram vagas e faltam profissionais qualificados. “Muitas vezes a pessoa candidata tem as competências comportamentais que buscamos, mas falta a experiência técnica”, explica Monica Calliari, Coordenadora de Recrutamento e Seleção do Olist.

Para suprir essa demanda, por meio do Programa Olist Tech Start, a startup decidiu ainda em 2020 contratar pessoas com pouca experiência e fornecer a elas treinamento adequado para que se desenvolvam tecnicamente. “O Olist está investindo nesses profissionais em início de carreira porque acredita em programas de desenvolvimento e como eles fazem diferença na carreira das pessoas”, complementa Monica.

O programa é lançado em um cenário em que 29,7% dos jovens entre 18 e 24 anos encontram-se desempregados e a crise econômica se agrava, com previsão de queda de 5,4% no PIB ainda em 2020. Nesse contexto, o setor de tecnologia oferece uma oportunidade valiosa para quem está em início de carreira, já que o mercado segue crescendo e ainda falta mão de obra qualificada no país. É o caso do Olist, que neste ano cresceu 34% em relação ao time e deve contratar mais 80 pessoas até o fim deste ano.

Antes de expandir o programa, a equipe de RH do Olist contratou alguns profissionais em início de carreira para pivotar o projeto de treinamento. Dessa forma, foi possível reforçar as qualidades do programa e melhorar eventuais demandas.

Ana Paula Carneiro, Desenvolvedora Jr. no Olist, foi uma dessas contratadas e conta com detalhes sobre a fase inicial. “Fiquei feliz pelo Olist ter criado essa oportunidade, pois fazia anos que eu tentava atuar na área, mas nenhuma empresa me contratava alegando falta de experiência. Desde o primeiro dia no time, já me senti dentro de um ambiente de desenvolvimento, participando das reuniões e discussões. Aprendi demais durante o treinamento, foi bem enriquecedor para mim como profissional e como pessoa”, finaliza Ana Paula.

Para a startup um bom treinamento é crucial para evitar falhas no futuro. “É comum ver empresas que colocam o novo funcionário para exercer as atividades logo no primeiro dia de trabalho. Aqui no Olist enxergamos o Programa como investimento, não só na carreira desses profissionais, mas também no crescimento do Olist”, comenta Maykon Granemann, Python Trainer no Olist

A iniciativa, que terá continuidade em 2021, para este ano está com 25 vagas abertas. Vale ressaltar que a startup busca por profissionais que trabalhem com propósito, não tenham medo de pôr a mão na massa e queiram fazer parte da revolução do comércio mundial. Saiba mais sobre o Programa Olist Tech Start e candidate-se neste link.

“Para um profissional da área, é uma oportunidade única e muito animadora, pois significa que eles podem fazer parte de uma jornada de expansão intensa, crescendo junto com a empresa e integrando a equipe de um negócio de alto impacto. Outro ponto que atrai muito os desenvolvedores para o Olist é que a essência da empresa é tecnologia, é o software em si. Não à toa, estamos dobrando a área de tecnologia. Para 2022, pretendemos ter 450 pessoas nesse departamento”, pontua Bruno Martins, CTO do Olist.

Você também vai gostar de : Inteligência Artificial: Ameaça ou Oportunidade?

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por Pineapple Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br