fbpx

Estudo da Visa mostra como pagamentos digitais tem movimentado o mercado brasileiro e reforça a importância de focar em segurança digital

Terceira edição de estudo internacional da Visa aponta que 55% das MPEs brasileiras já aceitam novas formas de pagamentos digitais. Movimento deve-se ao crescimento acentuado de vendas online e significativas mudanças no comportamento de consumo

São Paulo – 28 de janeiro de 2021 – Com a pandemia da Covid-19 prestes a completar um ano e os pagamentos digitais mais presentes no cotidiano da população mundial, novos hábitos de consumo devem permanecer em 2021. É o que indica a terceira edição do estudo global “Visa Back to Business Study – 2021 Outlook“, realizado entre 13 e 25 de novembro de 2020, no Brasil, Estados Unidos da América, Canadá, Alemanha, Irlanda, Hong Kong, Cingapura, Rússia e Emirados Árabes. A pesquisa mostra que a contínua migração das micro e pequenas empresas (MPEs) para o comércio digital evoluirá neste novo ano, elevando o foco para áreas como segurança e prevenção à fraudes, além da contínua adoção e aceitação de pagamentos móveis.

Segundo o estudo, no final de 2020, 82% das MPEs pesquisadas tinham adotado novas formas de tecnologia digital para acompanhar as mudanças de hábitos de consumo. Para 2021, as MPEs brasileiras continuam adotando tecnologias de pagamento para atender às expectativas do consumidor atual, o que tem impulsionando investimentos em novas soluções como softwares de segurança e proteção contra fraude (43%), aceitação de pagamentos via dispositivo móvel (35%) e parcelamentos para pagamentos online (42%).

“Com uma visão mais completa de 2020, podemos ver claramente que as experiências de pagamento digital de maior sucesso – o pagamento por aproximação e o e-commerce – foram impulsionadas pela necessidade e entraram para o cotidiano das pessoas com uma rapidez incomum”, explica Xiko da Rocha Campos, head de Vendas e Soluções para Comércios para a América Latina e Caribe. “Se 2020 foi o ano dos pagamentos por aproximação e do e-commerce, os resultados deste estudo indicam que 2021 será o ano em que se dará mais atenção à segurança, à prevenção de fraude e ao teste de mais ferramentas emergentes de comércio digital, o que deve ajudar os negócios a prosperarem”, conclui o executivo.

Todos os mercados pesquisados viram uma rápida adoção de novas tecnologias de pagamento e mudanças no comportamento do consumidor com relação ao comércio. Abaixo, seguem os principais insights desta edição do estudo:

Roteiro da recuperação das MPEs em 2021

• Os pagamentos por aproximação vieram para ficar: impulsionada pela busca do consumidor por formas mais seguras de pagar em meio à pandemia em 2020, a ascensão global dos pagamentos por aproximação deverá continuar neste ano. Prova disso é que, em junho de 2020, 30% das MPEs brasileiras tinham oferecido pagamentos por aproximação pela primeira vez. Hoje, 55% relatam que começaram a aceitar novas formas de pagamento digital. Cerca de dois em cada três (64%) delas acreditam que os consumidores continuarão preferindo os pagamentos por aproximação mesmo depois que a vacina estiver disponível a todos.

• As MPEs vão ao encontro dos consumidores: as MPEs aumentaram regularmente seus esforços para estar presentes no mundo digital. Mundialmente, 82% dos empreendedores de MPEs atualizaram suas operações para atender a demanda por pagamentos digitais – uma demanda que cresceu 67% em relação ao terceiro trimestre de 2020, quando a primeira edição do estudo Visa Back to Business Study foi publicado.

• No Brasil, a maioria dos pequenos empresários (88%) alterou sua forma de operar nos últimos três meses. Em junho, 50% dos pequenos empresários brasileiros estavam vendendo produtos e serviços online pela primeira vez devido à pandemia. Agora, 58% estão fazendo mais isso, contra 43% globalmente, superando todos os mercados pesquisados.

• A luta contra as fraudes: globalmente, os empresários mais versados em tecnologia (52%) são mais propensos a investir em segurança e proteção contra fraudes do que seus pares menos experientes (39%). Reconhecer as implicações e responder a uma potencial fraude continuará sendo uma vantagem decisiva em 2021 à medida que a migração para as vendas digitais continuar aumentando. Embora sejam um fator de preocupação, os índices globais de fraude continuam nos menores níveis históricos, cerca de US﹩0,007 para cada US﹩1.

“Em resumo, o fato de termos nos despedido de 2020 não mudou a realidade dos pequenos empresários mundo afora, que precisam continuar se adaptando, digitalizando suas operações e contando com o apoio de suas comunidades”, diz Juan Pablo Cuevas, head da Visa Business Solutions para a Visa América Latina e Caribe. “A nova pesquisa revela que, no Brasil, 88% das pequenas empresas adaptaram-se nos últimos três meses, ante 84% em julho”.

2021 traz uma nova era de hábitos de consumo

• Preferência do consumidor: de um dia para outro, as medidas de segurança contra a Covid-19 passaram a figurar no topo das listas de compras dos consumidores, impulsionando uma rápida mudança de hábito no comportamento para com o comércio sem contato. Quase três em cinco (58%) dos consumidores brasileiros pesquisados optariam por pagamentos por aproximação na mesma proporção, ou até mais do que hoje, e somente 18% voltariam a usar seus métodos de pagamento antigos após o fim da pandemia.

O consumidor brasileiro é o mais propenso dos pesquisados a dizer que os apps de pagamento móvel são a primeira opção de pagamento por aproximação que espera encontrar (70%, contra 40% mundialmente).

• Preocupação com a saúde: embora o foco universal esteja no uso de máscaras nos estabelecimentos comerciais, os consumidores também estão ávidos por alternativas de pagamento que evitem o manuseio de dinheiro, canetas e teclados.

De todos os mercados pesquisados, o consumidor brasileiro é o segundo mais propenso a dizer que não compraria em um estabelecimento que não lhe oferecesse a opção de pagar por aproximação (60%, em comparação com 47% globalmente).

• Higiene do cartão: para os consumidores, a higiene do cartão continua fundamental para evitar a disseminação da Covid-19. Quase três quartos (74%) dos consumidores no Brasil estão tomando medidas para manter seu cartão limpo. Isolar o cartão quando não estiver em uso é a melhor medida para 29% deles.

Como marca de confiança e força motriz do comércio, a Visa continuará introduzindo novos programas e recursos para avançar em seu compromisso de habilitar digitalmente 50 milhões de MPEs. Na sequência dos trabalhos dos Visa Street Teams, que visitaram mais de 300.000 pequenas empresas em 12 mercados para distribuir kits “back to business” em 2020, entra no ar a versão virtual do programa – The Virtual Breakroom: Back to Business Learning Series – onde as pequenas empresas têm acesso a tutoriais sobre pagamentos por aproximação, dicas de como expandir seu negócio online e informações sobre marketing digital/gestão de reputação. Mais informações sobre os programas oferecidos pela Visa às micro e pequenas empresas estão disponíveis nos sites: Visa Small Business Hub e Visa Small Business COVID-19 relief . Para acessar mais informações sobre as edições anteriores do estudo “Back to Business’, acesse aqui e aqui

Leia também:

O que esperar dos Sistemas Financeiros durante e após o coronavírus?

Indústria de Bens de Consumo passa por Transformações

Vamos Superar esse Momento, mas Não voltaremos ao estado de Antes

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por In Press Porter Novelli Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br