Documentário global sobre empreendedorismo feminino traz brasileira como uma das protagonistas

A coleção de curtas-metragens documentais comissionados pela Mastercard apresenta a história de vida de cinco empreendedoras ao redor do mundo que estão causando um impacto positivo em suas comunidades a partir de seus negócios

No mês em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, a Mastercard lança o documentário, “FIVE”. Encomendada pela companhia como forma criativa de levar consciência para alguns dos desafios mais críticos do mundo e impulsionar ações que construam uma economia digital para todos, a coleção de curtas-metragens reforça o compromisso global da Mastercard com a equidade de gênero e destaca o impacto positivo do empreendedorismo feminino em todo o mundo.

Dividida em cinco curtas-metragens documentais, cada episódio retrata de perto a história de cinco empreendedoras ao redor do mundo (Brasil, Croácia, EUA, Índia e Líbano), que promovem mudanças sociais e fazem a diferença em suas comunidades, a partir de seus negócios.

Uma das histórias retratadas é a da brasileira Carolina Ignarra, fundadora da Talento Incluir, consultoria pioneira em Diversidade e Inclusão que oferece ações estratégicas para a promoção da equidade nas relações humanas, e transmite uma importante mensagem sobre inclusão, “O propósito da Carolina não é apenas para pessoas com deficiência, é uma questão de direitos humanos para todos em todo o mundo. Já devíamos ter começado a falar sobre essas coisas há muito tempo” relata a diretora do curta, Renata Sette.

Em 2001, Carolina tinha acabado de se formar em educação física e estava prestes a iniciar sua carreira, quando um acidente de motocicleta transformou sua vida. Com a perda dos movimentos de ambas as pernas, Carolina descobriu que os potenciais empregadores davam mais atenção à sua cadeira de rodas do que às suas credenciais. “As empresas me procuravam e me ofereciam trabalhos que não estavam de acordo com a minha formação e habilidades, com o único objetivo de cumprir a sua cota”, diz Ignarra. “Percebi que as empresas não estavam preparadas para considerar as pessoas com deficiência como sendo competentes e capazes de realizar qualquer tipo de função”, completa a empresária.

Foi então que Carolina decidiu abrir seu negócio, com o objetivo de mudar essa percepção das empresas e contribuir para que as pessoas com deficiência fossem – de fato – incluídas no mercado de trabalho.

“A inclusão exige muito mais do que apenas contratar alguém”, diz Ignarra. “Significa garantir que seu colaborador tenha as ferramentas adequadas e todas as acomodações necessárias para trabalhar com eficácia, bem como um caminho claro para que ele possa avançar na carreira. Isso significa ajustar a cultura corporativa para oferecer a mesma oportunidade a todos e eliminar os vieses inconscientes que impedem o processo de desenvolvimento de profissionais com deficiência ou de qualquer outro marcador social. Todos têm o direito de se sentir confortáveis, bem-vindos e crescer no trabalho”, completa.

Desde 2008, a Talento Incluir já ajudou mais de 7 mil brasileiros com deficiência a encontrarem um trabalho por meio de empregabilidade ativa, a partir de uma preparação exclusiva e diferenciada. Além disso, desenvolve programas de treinamentos para formar cultura inclusiva em mais de 400 empresas de diversos setores em todo Brasil.

Outras quatro histórias inspiradoras de empreendedoras completam a série de curtas-metragens documentais que estão disponíveis on demand na plataforma Vimeo.

“A Mastercard é uma empresa de tecnologia comprometida em liderar mudanças em nossa sociedade. Sabemos que um mundo melhor para as mulheres cria possibilidades ilimitadas para todos. Para isso, trabalhamos diariamente impulsionando nossas conexões e parceiros em prol dessa mudança. As histórias retratadas na série nos confirmam que um mundo inclusivo dá a todos a chance de liberar todo o seu potencial, perseguir suas paixões e fazer coisas extraordinárias acontecerem.”, afirma Sarah Buchwitz, vice-presidente de Marketing e Comunicação da Mastercard Brasil.

Construindo proativamente um mundo melhor

A Mastercard está empenhada em liderar a construção de um mundo que funcione para as mulheres em vez de tentar adequar as mulheres a realidade do mundo atual. A série “FIVE” reforça esse compromisso global com a equidade.
Globalmente, a empresa está cultivando as oportunidades, recursos e comunidades que darão às mulheres as ferramentas necessárias para crescer. Para demonstrar seu compromisso ativo com a causa, a Mastercard desenvolve iniciativas em três pilares: Sociedade, Mercado e Funcionários.

Sociedade

A participação de mulheres em áreas ligadas a finanças e tecnologia ainda está longe do ideal e para combater esse estereotipo no setor de tecnologia a Mastercard desenvolveu o Girls4Tech™um programa educacional que busca impulsionar as habilidades de meninas em temas relacionados à ciência, tecnologia, engenharia e matemática (STEM em sua sigla em inglês), por meio de um conjunto de novos recursos educacionais e criativos.

Em outubro de 2020, o programa atingiu sua primeira meta de alcançar mais de um milhão de meninas em 30 países e seis continentes, a nova meta é atingir cinco milhões de meninas em todo o mundo até 2025 e continuar oferecendo a oportunidade das participantes de descobrirem e terem contato com diversas carreiras STEM.

E como mais uma ação em prol do Dia Internacional da Mulher, a companhia anunciou a primeira maratona regional do programa, que acontecerá no dia 8 de março em 15 países da América Latina e Caribe.

Além disso, a companhia tem parceria com a Aliança Sem Estereótipo da ONU Mulheres, que garante que todas as ações de comunicação e marketing da Mastercard no mercado estejam comprometidas com os princípios básicos de equidade de gênero.

Mercado

Desde o início da pandemia, a Mastercard passou a oferecer ferramentas e recursos gratuitos para apoiar as pequenas e médias empresas em todo o mundo. Os resultados do Índice Mastercard de Mulheres Empreendedoras em 2020 revelaram que mais de 50% das empresas lideradas por mulheres no Brasil, Argentina, Equador, Itália, Coreia do Sul, Rússia, Tailândia, Uruguai e Vietnã atuavam nos setores mais impactados pela pandemia, como atacado e varejo, serviços de hospedagem e alimentação.

Para apoiá-las a empresa conta com sua “Plataforma de aceleração digital para pequenas empresas”- que tem como objetivo fornecer recursos e serviços para os pequenos empreendedores. No Brasil, uma das parceiras do programa é a Aliança Empreendedora que por meio da plataforma de cursos online Tamo Junto, oferece cursos gratuitos sobre empreendedorismo e gestão para que microempreendedores possam se desenvolver e gerar mais renda.

Recentemente, a companhia anunciou que irá apoiar 25 milhões de mulheres empresárias com os recursos e as ferramentas necessárias para expandir suas empresas, como parte de seu compromisso de trazer um bilhão de pessoas para a economia digital formal até 2025. Com o anúncio do novo fundo de U$ 100 milhões voltado para empresas lideradas por mulheres, a Mastercard se torna a principal investidora do setor no mercado.

Funcionários

Considerada uma das melhores empresas para mulheres trabalharem no Brasil, a Mastercard segue políticas internas e iniciativas em prol da inclusão e equidade – além de diversos benefícios para seus funcionários.

É claro para a Mastercard de que o trabalho é uma das múltiplas partes da vida de seus colaboradores, de grande importância, mas que deve coexistir harmoniosamente com as demais. Por isso, a companhia busca construir um pacote de compensação e benefícios que demonstre essa sua visão na prática, sendo agente promotor direto de qualidade de vida em diferentes âmbitos e atendendo demandas que possam ter.

E justamente, com esse o objetivo, a empresa oferece o programa The Whole You, uma política ampla de benefícios de saúde, culturais, programa de bolsa de estudos para filhos de funcionários, entre outros. Uma das políticas internas, por exemplo, assegura que nos processos seletivos deve-se ter pelo menos uma candidata mulher na etapa final. Internamente, a empresa possui diversos grupos focais, chamados “BRGs” que fomentam discussões mais inclusivas e impulsionam o público interno em debates de diversos temas. Um deles, é o WLN (Women Leadership Networking), implementado globalmente há mais de 10 anos para reunir e engajar as mulheres dentro da companhia.

Além disso, a companhia conta com um programa de recolocação de profissionais experientes que fizeram uma pausa de dois anos ou mais na carreira o Relaunch Your Career. Um dos públicos-alvo deste programa são mulheres que estão afastadas do mercado de trabalho por causa da maternidade. A licença maternidade para as funcionárias da Mastercard é de seis meses e paternidade de 16 semanas.

Leia também:

O que esperar dos Sistemas Financeiros durante e após o coronavírus?

Brian Requarth lança um olhar estrangeiro para o mercado em ascensão das startups no Brasil

Maureen Chiquet, a Mulher por trás do Sucesso de Grandes Marcas Mundiais

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por JeffreyGroup Brasil  
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br