fbpx

Shopping centers do país esperam forte aumento de vendas com Dia das Mães

Segundo levantamento realizado pela Abrasce, segunda maior data do varejo deve injetar R$ 2,7 bilhões na economia

De acordo com pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a expectativa de vendas para o Dia das Mães é de um aumento de 370% em relação ao mesmo período de 2020, visto que na época apenas 15% dos shoppings estavam abertos. Já em comparação a 2019, com base na expectativa atual, haveria queda de vendas de 19%. “Essa expectativa de vendas representa uma injeção de recursos de R﹩ 2,7 bilhões na economia. Estamos em contato com prefeitos e governadores para que os shoppings voltem a funcionar sem restrições, já que operam com rígidos protocolos sanitários e geram 3 milhões de empregos direta e indiretamente”, afirma Glauco Humai, presidente da Abrasce.

Canais de vendas que ganharam força desde o início da pandemia devem permanecer como alternativa no Dia das Mães. Dos 601 shopping centers no país, 91% pretendem disponibilizar delivery a seus clientes e 77% drive-thru. Em comparação com o Natal de 2020, verificamos um aumento da participação de modalidades como marketplace/vendas online, com 49% dos shoppings oferecendo o canal de vendas, e lockers, meio presente em 23% dos empreendimentos. Para incentivar a utilização dos multicanais de vendas, 63% dos shoppings realizarão promoções, muitas delas no ambiente online, para evitar aglomorações.

Além das vendas presenciais, quais outros canais de vendas o shopping irá disponibilizar para o Dia das Mães?

Fonte: Abrasce

Para 79% dos shoppings, a expectativa é de aumento no fluxo de visitantes de 23% na semana do Dia das Mães em comparação com as semanas anteriores. Vale destacar que os shoppings do país iniciaram suas reaberturas nas últimas semanas, sendo que aproximadamente 90% dos empreendimentos estão abertos desde a semana de 19 a 25 de abril.

Segundo a pesquisa da Abrasce, as categorias de produtos mais procuradas neste Dia das Mães devem ser perfumaria e cosméticos, seguida de vestuário e calçados, com 81%, 79% e 66%, respectivamente. O ticket médio deve ser de R$ 200,00, alta de 5,8% em relação a mesma data de 2020.

Leia também:

Indústria de Bens de Consumo passa por Transformações

Vamos Superar esse Momento, mas Não voltaremos ao estado de Antes

Digitalização é palavra-chave para Empresas durante Pandemia


Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por FSB Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br