fbpx

C&A Brasil implanta tecnologia blockchain em parceria com start-up para monitorar e estreitar relacionamento com fornecedores

Companhia prevê rastrear mais de 50% dos produtos produzidos no país via tecnologia da parceira Blockforce até o final de 2021

Alinhada à sua estratégia digital e de inovação, a C&A Brasil implanta tecnologia blockchain para intensificar, ainda mais, o monitoramento e o relacionamento com os seus fornecedores no país. Desenvolvido em parceria com a Blockforce, start-up especializada em pesquisa e desenvolvimento de blockchain, o projeto permite a integração em tempo real entre o sistema da varejista com o dos seus fornecedores, conferindo visibilidade para a produção de cada peça, do começo ao fim, de forma clara, ágil e prática. O lançamento do projeto piloto ocorreu no início de abril e a meta da companhia é de que, até o final do ano, mais de 50% dos produtos produzidos no país sejam rastreados e registrados via esta tecnologia.

O uso do blockchain é mais um grande passo da C&A para contribuir para a melhoria da gestão do processo de produção das suas coleções lado a lado aos seus fornecedores. Já que, com a tecnologia, o compartilhamento de informações é dinâmico, seguro e imutável, garantindo a precisão no monitoramento de todas as etapas de produção. Outro grande diferencial e benefício da tecnologia é a possibilidade da troca constante de informações, o que, por sua vez, contribui para estreitar o relacionamento entre a empresa e o fornecedor com transparência, mitigando inclusive, o risco de compliance.

“A C&A vem em um constante movimento de integrar novas tecnologias em sua operação, seja para agilizar processos internos ou até para oferecer novos formatos de venda. Os fornecedores cumprem um importante papel em todo o nosso ecossistema empresarial e temos um cuidado especial com cada um deles. Por isso, implantar essa tecnologia dará mais segurança e fortalecerá a nossa conexão, uma vez que todos os dados da produção estarão registrados em um sistema único e imutável”, enfatiza Rodrigo Lasalvia, Gerente de Compliance de Fornecedores da C&A Brasil.

A preocupação da varejista com a sua rede de fornecimento tem uma longa trajetória. De forma pioneira no varejo de moda brasileiro, a C&A foi a primeira marca a monitorar a sua rede de fornecedores e subcontratados, além de contar, desde 1996, com um Código de Conduta para o Fornecimento de Mercadorias, cuja aceitação, em contrato, é obrigatória e válida em todo o mundo. A companhia possuí ainda um rigoroso programa de auditoria que, desde 2006, garante que os fornecedores e subcontratados autorizados cumpram os padrões sociais e ambientais que constam no Código de Conduta de fornecedores da C&A global, que, em muitas ocasiões chega a ser superior aos requisitos legais nacionais. Dessa forma, promove condições de trabalho justas e seguras na sua rede de fornecimento.

O projeto piloto está alinhado a estratégia de negócios da empresa para 2021, chamada C&A Fashion Tech, que tem como meta alavancar, ainda mais, a digitalização e inovações da companhia em toda a operação a fim de tornar a C&A na varejista de moda digital que mais entende a mulher brasileira, com lojas físicas e muita conexão emocional.

Plataforma Global de Sustentabilidade da C&A
A Plataforma Global de Sustentabilidade da C&A norteia de forma integrada as ações e compromissos da companhia relacionadas ao tema em todos os países onde está presente. Essa Plataforma é estruturada em três pilares de atuação: Produtos Sustentáveis, Rede de Fornecimento Sustentável e Vidas Sustentáveis.

Leia também:

Um olhar atento para a Computação Quântica

Da Pré-História ao Futuro da Internet Brasileira

Os Desafios de Camila no Mercado (ainda) Masculino da Programação

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por Máquina Cohn & Wolfe
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br