fbpx

Internet 5G: tecnologia trará avanços, mas precisa de mão de obra no Brasil

A tecnologia 5G promete revolucionar a forma como a humanidade se relaciona com a internet, abrindo diversas possibilidades de interação e criando uma enorme seara de novos negócios e oportunidades de emprego para as futuras gerações.

O 5G terá um poder de conexão muito grande e poderá permitir acesso fácil à internet para regiões e populações que têm problemas de acesso, abrindo caminho para uma grande inclusão tecnológica.

Além disso, uma infinidade de objetos que usamos todos os dias poderão ser conectados à internet sem sobrecarregar os dados utilizados, iniciando uma revolução nos mercados e na forma como consumimos.

“Uma característica marcante do 5G é em relação ao desempenho e à velocidade da internet, que vai nos proporcionar fazer download de filmes em segundos. Além disso, a implementação e popularização de carros autônomos e a internet das coisas.”, diz a professora do curso de Ensino Médio Técnico da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP) Evelyn Cid.

Professora Elelyn Cid – Foto Divulgação



Evelyn acredita que a implementação do 5G será mais rápida do que foi a implementação do 4G.

“Será mais rápida a implantação do 5G, por causa do interesse das empresas em explorar o potencial que ele oferece. O tempo que levou para o 3G e o 4G serem implantados foi muito maior, mas o 5G inicia sua implantação em vantagem, visto que depende previamente da estrutura tecnológica já existente do 4G. Outro ponto positivo é o fato da maioria dos aparelhos celulares disponíveis no mercado já estarem preparados para a rede 5G.”

Ainda assim, a implementação do 5G pode ser um pouco lenta, visto que apenas cerca de 11% das localidades do Brasil já têm rede 4G. Para se ter ideia, segundo a professora, seriam necessários 13 mil km de cabos para conectar a região amazônica. Com recursos públicos da União, seria possível instalar apenas 1 mil km de cabos, o que torna a implantação da tecnologia muito lenta.

Leilão do 5G

E é nesse cenário que entra o leilão do 5G, que tem enfrentado algumas dificuldades para sair do papel.

Os equipamentos necessários não são produzidos no Brasil, e dois grandes países disputam esse “campo de atuação”: China e Estados Unidos. Em troca da concessão para explorar o mercado, a empresa ganhadora do leilão, seja chinesa ou americana, deverá se responsabilizar por implementar todo o aparato tecnológico que possibilite o 5G no País.

“Acompanho as notícias sobre o assunto, e nas últimas previsões, até meados de junho ou julho de 2022, grande parte dos brasileiros já terá acesso ao 5G. Para isso, o leilão precisa ocorrer ainda em 2021. Mas quando pensamos em relações diplomáticas, o Brasil pode enfrentar problemas e atrasos na implementação.”

E as mudanças no mercado e no dia a dia das pessoas trazidas com o 5G serão imediatos? Não, segundo Evelyn.

“Será uma melhoria contínua, a revolução não vai acontecer da noite para o dia. Vamos aprender e desenvolver coisas com ela. No âmbito de negócios, o Brasil precisa estar preparado para cada vez migrar mais os negócios para o âmbito digital. É preciso haver interesse de empresas e sociedade para explorar o digital e tornar a área rentável.”

Falta Mão de Obra

O mercado de tecnologia aqueceu o mercado, mas isso não tem se revertido e mais pessoas se preparando profissionalmente para embarcar nessa aventura.

“Serão necessários profissionais capacitados para criar produtos e soluções a partir das possibilidades da tecnologia. Precisamos de educação conectada com tecnologia. Não adianta olhar para um país que está criando o leilão da tecnologia 5G, mas não tem profissional para colocar no mercado. Não dá para olhar para o 5G e apenas sonhar, é preciso formar profissionais.”

Inteligência Artificial

O avanço tecnológico da IA permite que sistemas simulem uma inteligência similar à humana para tomar decisões de forma autônoma, baseadas em padrões de bancos de dados, trazendo ganhos de produtividade a empresas e indústrias.

Diversos setores da economia, como serviços públicos, comércio, hotelaria, alimentação, construção, manufatura, mineração, agricultura, pesca e muitos outros terão grande demanda por mão de obra qualificada.

O Colégio FECAP, mantido pela Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), criou em 2020 o primeiro curso de ensino médio técnico em Inteligência Artificial do Brasil.

O curso tem projeto pedagógico próprio e proporciona aos alunos uma sólida base de programação de alto nível, modelo neural, machine learning, ampliando os conhecimentos fundamentais para Big Data e sistema de reconhecimento de voz. A FECAP também tem expertise acumulada com o único curso técnico no País que prepara alunos para produzir algoritmos completos com autonomia.

O curso visa apresentar ao aluno a capacidade das máquinas de pensarem como seres humanos: aprender, perceber e decidir quais caminhos seguir, de forma racional diante de determinadas situações

Saiba mais sobre o curso: http://www.fecap.br/old/colegiofecap/ensino-medio-tecnico.php

A Especialista

Evelyn Cid é apaixonada por tecnologia e focada em práticas inovadoras em educação. Mestre em Engenharia Biomédica e pós-graduada em Engenharia de Software. Tem mais de 18 anos de experiência na área de educação e tecnologia, atuando no ensino técnico, superior e pós-graduação.

Criou o primeiro curso técnico em Inteligência Artificial do Brasil, no Colégio FECAP, onde é coordenadora do Ensino Médio Técnico. Coordenadora na graduação on-line da Fiap nos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Produção Multimídia.

Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por Imprensa Fecap
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br