Maquiagem como passagem da favela para o mundo

Com o bordão “da favela para o mundo”, a influenciadora digital Júlia Peixoto carrega com ela a perseverança para conquistar seus sonhos

Júlia Peixoto – Foto Divulgação

Uma pesquisa do provedor de pesquisa de mercado Euromonitor International revelou que o Brasil é o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos, China e Japão. De acordo com os dados, entre os anos de 2013 e 2018, o aumento no valor de vendas no varejo em reais foi de 24,5%.

Todos esses dados podem até ter sido relevantes para a influencer digital Júlia Peixoto, da comunidade Parada de Lucas, no Rio de Janeiro, que soma 1,5 milhão de seguidores no Instagram e quase 500 mil inscritos em seu canal no YouTube.

Mas a verdade é que a jovem de 21 anos, que carrega no peito o slogan “da favela para o mundo”, quis começar a sua linha de maquiagem por um motivo muito mais simples: ouvir um sim.

“Eu queria trabalhar, ter uma oportunidade. O não eu já tinha, então fui atrás do sim”.


Amor-próprio e pela maquiagem

Para Júlia, a maquiagem é vista como uma liberdade para ser quem quiser, assim como uma amiga da autoestima. “Eu falo que tenho duas caras: a minha sem maquiagem, e a outra, maquiada”.

Esse amor, inclusive, começou muito antes de sua fama. Foi em 2015 que ela clicou no botão de “upload” pela primeira vez, para compartilhar truques de maquiagem que ela usava diariamente.

“[Eu comecei a produzir vídeos porque tinha] vontade de crescer e mostrar para o mundo quem sou eu. Lembro que eu me inspirava nos vídeos do Bonde das Maravilhas. Foi uma época inesquecível”.

Em pouco tempo, seus vídeos de maquiagem e truques de beleza a transformaram em uma referência no disputado mundo das influencers de maquiagem. Sem contar em uma inspiração para seus seguidores, já que um dos pontos que Júlia sempre reforça em seus conteúdos é que todos devem ir atrás do que querem, mesmo que não seja tão fácil.


Saindo da favela para conquistar o mundo

Para Júlia conseguir sair da favela para conquistar o mundo, não foi nada fácil.

Júlia Peixoto – Foto Divulgação

Em 2018, a influenciadora passava por uma depressão que afetou a sua autoestima e a fez ganhar peso. Em um dos seus compromissos na época, para fazer presença em uma loja de roupas, ela afirma ter sido maltratada pelas funcionárias da loja.

Mas esse não foi o único momento marcante que Júlia viveu dentro dessa loja de roupas. Também foi lá que ela conheceu o dono da Face Beautiful, marca em que hoje ela tem sua própria linha de produtos. “Em um momento da conversa, ele perguntou se eu não pensava em lançar uma linha de maquiagem. Disse que sim, mas acabou ficando por isso mesmo”.

O período em que Júlia sofreu depressão, inclusive, foi o que ela afirma ter pensado em desistir da sua carreira como influenciadora digital.

Para continuar batalhando pelo seu espaço nas redes sociais, ela diz que “me enxerguei e enxerguei o meu talento. Sabia estar passando por aquilo e que logo mais eu iria entender. Era só eu passar pelo processo. Passei, acreditei em mim e estou aqui”.

E foi durante a depressão, um divisor de águas em sua vida, que ela encontrou uma nova visão de amor-próprio. “Eu aprendi a gostar da minha própria companhia e me conhecer melhor”, afirma.

Com o amor-próprio, veio a confiança para Júlia buscar o dono da Face Beautiful no Instagram em 2019 e enviar a seguinte mensagem: “Lembra daquela conversa na loja? Você ainda tem interesse? Vamos fazer acontecer!”.

A resposta veio com um convite para uma reunião, que se transformou na linha JUPXT, com produtos como bases, batons, gloss, iluminadores e glitter, dentre outros – todos com o objetivo de agradar diferentes tons de pele.

A influencer participou de todas as fases, desde os testes dos produtos, escolha das embalagens e nomes nas linhas. “Meus produtos foram pensados em pessoas. Todos os tons, fora as bases que cada um tem o seu tom, foram desenvolvidos e feitos para qualquer pele”.

E o lançamento da sua própria linha de maquiagem não foi a única conquista que Júlia Peixoto comemorou dentro do período da pandemia causada pela Covid-19. Foi durante esse ano que ela decidiu se reinventar do jeito mais difícil – e mais recompensador.

“Quando chegou a quarentena, eu já estava acima do meu peso. As pessoas criticavam muito o meu corpo e decidi que não iria deixar ninguém me machucar mais. Desisti de uma lipoaspiração e fui pelo caminho saudável, onde eu perdi 15 kg”.

Com uma vida mais saudável, uma linha de maquiagem e números que não param de subir – dentre 2018 e 2021, seu número de seguidores nas redes sociais subiu 250% – a mensagem de Júlia para quem a acompanha é simples, mas poderosa. “Não desista de você”, conclui.


Por Isabella Grocelli – Revista Empreende