Relatório de Riqueza Mundial 2021: América do Norte quebra tendência de 5 anos e ultrapassa Ásia-Pacífico em população e riqueza de alto patrimônio líquido

A edição do 25º aniversário do estudo World Wealth Report concluiu que será fundamental investir em talento e tecnologia para fornecer serviços híbridos de consultoria, com base na interação humana e ferramentas digitais

A população de indivíduos com alta renda (tradução livre para “High Net Worth Individual” ou HNWI) [ 1] cresceu 6,3%, ultrapassando a marca de 20 milhões, enquanto a riqueza dos HNWI cresceu 7,6% em 2020, quase atingindo o valor de US$ 80 trilhões. Impulsionada pelo aumento dos mercados de ações e pelo estímulo governamental, a América do Norte ultrapassou a Ásia-Pacífico (APAC) para se tornar a líder em 2020, tanto em população quanto em riqueza. A edição do 25º aniversário do Relatório de Riqueza Mundial (tradução livre para World Wealth Report – WWR) da Capgemini examina a evolução da riqueza global no último ano e as tendências e influências dos HNWI dos últimos 25 anos.

Em 2020, o segmento ultra-HNWI liderou a população geral de alto patrimônio líquido global e o crescimento da riqueza em 9,6% e 9,1%, respectivamente, enquanto os “milionários mais próximos” e os “milionários intermediários” tiveram menor crescimento populacional e de riqueza em cerca de 6% e 8%, respectivamente. [2]

De acordo com o relatório, o mais antigo do setor e um dos os estudos de riqueza mais referenciados, os HNWIs se envolveram mais em seus investimentos nos últimos 25 anos e agora buscam cada vez mais um amplo suporte de consultoria. À medida que os players de tecnologia continuam a entrar no espaço de gestão de patrimônio, as empresas desse mercado precisam avançar em direção a consultorias com base em tecnologia e modelos de negócios hiperpersonalizados. Como a COVID-19 trouxe a terceira “turbulência” econômica global do século 21, as lições da bolha de tecnologia de 2002 e da crise financeira global de 2008 continuam a apontar para a tendência dos HNWIs de autodirigir investimentos em um mercado em alta, mas retornando à busca de aconselhamento durante as crises e volatilidades do mercado.

Capacidades híbridas de consultoria, com base em interações humanas e ferramentas digitais, são a chave para oportunidades das empresas de gestão de patrimônio
Avanços tecnológicos, mudanças na dinâmica social, novos players do ecossistema, democratização da gestão de investimentos e o surgimento de canais e ativos digitais, todos impactarão no sucesso ou no fracasso das empresas de gestão de patrimônio no futuro. Os HNWIs de hoje estão interessados em modelos híbridos e em buscar cada vez mais um mix entre interação digital e direta: 34% dos HNWIs afirmam que estão aproveitando ativamente os serviços das WealthTechs. [ 3] Além disso, as empresas de gestão de patrimônio consideram as WealthTechs com experiência no ciclo de vida do consumidor como parceiros adequados que podem aprimorar suas capacidades, alcançando e capacidade de resposta às tendências do mercado. Os dois principais motivos, identificados pelos executivos participantes da pesquisa, para fazer parceria com essas empresas é que elas estão ganhando acesso a novos segmentos de clientes e fornecendo ofertas novas e exclusivas para o público final.

A indústria de gestão de patrimônio deve expandir suas fronteiras para capturar a atenção e melhor atender aos clientes HNWI acostumados com a conveniência e personalização das BigTechs“, afirma Anirban Bose, CEO da unidade de Financial Services Strategic Business & membro do board executivo da Capgemini. “Investir em tecnologia e talento é uma necessidade crítica para as empresas de gestão de patrimônio manterem sua participação no mercado, à medida que as WealthTechs continuam a crescer e a entrada das BigTechs no espaço se aproxima“.

A adoção de habilidades de tecnologia da nova era e a requalificação ou contratação de talentos certos impulsionará a transformação da gestão de patrimônio
Em meio a um ritmo cada vez mais rápido de interrupções, as empresas de gestão de patrimônio podem construir modelos operacionais resilientes e ágeis, investindo em tecnologias como nuvem, APIs e microsserviços. Embora a reputação da indústria em termos de expertise e experiência continue sendo sua principal força, as empresas precisarão incorporar insights com base em dados em seu envolvimento com o cliente, além de estratégias de investimento. O desempenho das aplicações continuará a ser primordial, mas as empresas também precisarão se concentrar na entrega de valor, bem como nas opções ambientais, sociais e de governança corporativa (ESG).

A gestão de fortunas foi e continua a ser um negócio com base no relacionamento. Com os perfis de clientes de gestão de patrimônio evoluindo rapidamente para incluir HNWIs da geração Y e da geração Z, mulheres, famílias não tradicionais, entre outros, as empresas devem treinar seus consultores e funcionários para atender às expectativas e comportamentos de clientes específicos de segmentos mais diversos. Contratar e capacitar digitalmente uma força de trabalho de consultores heterogênea, enquanto requalifica as equipes para se envolver com uma variedade de segmentos de clientes, é o caminho a ser seguido, conforme aponta o relatório. No entanto, 63% dos consultores entrevistados disseram que não estão satisfeitos com os esforços de suas empresas de gestão de patrimônio para fornecer ferramentas/treinamentos para atender às necessidades de mudanças dos seus clientes.

Para atender às expectativas em evolução do HNWI, as empresas também precisarão fazer uso das estratégias das BigTechs, como a hiperpersonalização, ofertas de ecossistema de estilo de vida e interfaces integradas intuitivas para manter a relevância entre uma base de clientes diversificada.

Mudanças na indústria e no cliente que conduzem à diversificação na gestão de patrimônio
Com o atual aumento do mercado de ações, os HNWIs também buscam diversificar seu portfólio com investimentos alternativos. As aplicações sustentáveis agora estão amadurecendo, com 43% dos ultra-HNWIs e 39% dos HNWIs mais jovens (idade inferior a 40 anos) a solicitar uma pontuação ESG para produtos oferecidos por suas empresas.

Além disso, 72% dos HNWIs pesquisados disseram que investiram em criptomoedas e 74% em outros ativos digitais, como nomes de domínio de sites ou aplicativos. As empresas de aquisição de propósito específico (tradução livre para “Special-purpose acquisition company” – SPACs) estão se tornando mais populares, enquanto os tokens não fungíveis (no original “non fungible token” ou NFTs) estão lentamente ganhando credibilidade de classe de ativos. O aumento dos investimentos de varejo com comissão zero também despertou o interesse dos HNWIs, com 39% dizendo que desejam negociações com taxa zero, mas suas empresas de gestão de patrimônio ainda não o fizeram.

Metodologia:
O World Wealth Report 2021 cobre 71 mercados, representando mais de 98% da renda nacional bruta global e 99% da capitalização do mercado de ações mundial, para o dimensionamento do mercado de HNWI. A Pesquisa Global HNW Insights da Capgemini 2021 consultou mais de 2.900 HNWIs em 26 dos principais mercados de patrimônio da América do Norte, América Latina, Europa, Oriente Médio e região da Ásia-Pacífico. Entrevistas e pesquisas com mais de 100 executivos de gestão de patrimônio foram realizadas em 17 mercados, com representação de firmas de gestão de patrimônio puro, bancos universais e corretoras, incluindo as independentes, e executivos de gestão de patrimônio consultados sobre esforços de transformação digital, estratégias de colaboração e tendências da indústria, como investimento sustentável. A 2021 Wealth Manager Survey cobre mais de 350 respostas em seis mercados e questionou gestores de patrimônio sobre suas opiniões em tendências do setor, preparação para novas demandas de mercado e sua satisfação com o suporte fornecido por suas empresas de gestão de patrimônio. A produção do WWR 2021 foi apoiada por um Comitê Diretor Executivo externo composto por 14 especialistas em gestão de Wealth entre bancos, WealthTechs, habilitadores de negócios e tecnologia.

Saiba mais sobre o WWR 2021 em www.worldwealthreport.com

[1] Indivíduos com alto patrimônio líquido são definidos como aqueles que possuem ativos de investimento de US$ 1 milhão ou mais, excluindo residência principal, itens colecionáveis, consumíveis e bens de consumo duráveis.

[2] Ultra-HNWIs são definidos como HNWIs com ativos investíveis de US$ 30 milhões ou mais; Milionários vizinhos são definidos como HNWIs com ativos de investimento entre US$ 1 milhão e US$ 5 milhões; Milionários de nível médio são definidos como HNWIs com ativos de investimento entre US$ 5 milhões e US$ 30 milhões.

[3] WealthTechs são empresas iniciantes ou ScaleUps especializadas em soluções de gerenciamento de patrimônio digital.

Leia também:

O que esperar dos Sistemas Financeiros durante e após o coronavírus?

Vida a.c. e d.c.: Antes e Depois do Coronavírus

Vamos Superar esse Momento, mas Não voltaremos ao estado de Antes

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por Ketchum
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br