Brota lança nova geração de hortas inteligentes com iluminação artificial

Quem gosta de plantas sabe que, além de proporcionar água e um solo com nutrientes, outro fator é muito importante para se desenvolverem: a luz do ambiente. Pensando em ajudar quem tem esse desafio com suas plantinhas, a Brota acaba de lançar a b.Box Led, sua nova geração de hortas inteligentes com iluminação artificial.

Foto (Divulgação): Na foto, da esquerda para a direita, os sócios fundadores da Brota Company, Juan Correa, Rodrigo Farina e Bruno Arouca.

Contato com clientes foi essencial para a evolução do produto

“Mantemos uma conexão muito bacana e produtiva com os nossos clientes que nos permitiu compreender qual era o próximo passo a ser dado no desenvolvimento do produto”, afirma o CEO da Brota Company, Rodrigo Farina. Em pesquisa feita pela startup com sua base, a falta de luz no ambiente se mostrou ser um desafio para o cultivo: 89% dos clientes que tiveram algum insucesso com o crescimento de suas plantas afirmou que este foi o grande impeditivo.

Para suprir essa questão tão comum quanto relevante, o sistema da nova horta proporciona autonomia de 16 horas ininterruptas de luz diária e desligamento automático e duas vezes mais eficiência no tempo de crescimento. Além disso, traz mobilidade pois elimina a busca por um ponto de luz natural em casa.

“Muitas vezes vivemos em lugares nos quais a iluminação ambiente não é das melhores. Pensando nisso, desenvolvemos uma nova horta que permite-se plantar o que quiser e onde preferir sem se preocupar com o lugar da casa. Seja onde for, a partir de agora a planta estará com condições para crescer”, comenta o empreendedor.

Retrátil e podendo ser usada em duas alturas – 15 cm e 30 cm a depender do estágio de crescimento da planta – a “b.Led” – nome dado ao sistema de luz – foi projetada para se encaixar com perfeição à já existente horta, a b.box. Isso porque um dos cuidados da startup foi dar também esta possibilidade a quem já tem sua horta. “Estamos muito felizes com o lançamento da b.Led. Ela é um exemplo puro do contato constante que temos com nossos clientes que nos ajudam a melhorar cada vez tudo que envolve a Brota”, diz o empreendedor.

Com o propósito de alimentar o mundo sem destruir o planeta, hoje a Brota já recicla 100% do volume proporcional fabricado e oferece dez tipos de cápsulas: Manjericão Italiano, Hortelã, Salsa Hortense, Rúcula Rokita, Coentro Português, Alface Baby-Leaf, Orégano Bravo-Europeu, Tomilho Serpilho e os novos sabores Beterraba Baby Beet e Mostarda Crespa. A ideia é expandir para até 50 sabores até o fim de 2021.

Foto (Divulgação): Nova geração de hortas da Brota tem autonomia de 16 horas de luz por dia e pode acelerar o crescimento das plantinhas em até duas vezes.


Sucesso antes mesmo do lançamento traz expectativa

Em um formato de pré-venda, a startup já se surpreendeu com a grande demanda recebida dos clientes. Mais de 3000 pessoas se cadastraram para serem as primeiras a receberem a b.Led. “Acreditamos muito no poder que a tecnologia tem de gerar conforto e novas soluções às necessidades dos tempos de hoje. Trabalhamos todos os dias com esse intuito, de fazermos nossa parte”, finaliza Farina.

Momento da startup é de expansão das operações

Logo após a empresa ter recebido seu primeiro aporte no valor de R﹩1 milhão do fundo APEX em maio deste ano, a base da operação migrou do Rio de Janeiro para São Paulo. É consenso entre os sócios de que a vinda a São Paulo ajude na expansão das operações e tornar o produto mais acessível a cada vez mais pessoas em todo o país. Atualmente a startup já vendeu mais de 15.000 mil unidades desde o início da primeira venda em julho de 2020.

Sobre a Brota

Fundada em maio de 2019 pelos cariocas Rodrigo Farina, Juan Correa e Bruno Arouca, a Brota é a primeira horta residencial inteligente do Brasil. Com muita tecnologia embarcada, a startup foi feita para acelerar o despertar das pessoas por uma vida mais sustentável mesmo vivendo em grandes cidades com pouco espaço e sem conhecimento sobre botânica. A mágica do crescimento de temperos e vegetais ocorre com mínima intervenção. Tudo acontece a partir de dois sistemas: um autônomo de irrigação o qual basta repor água cada 25 dias e de cápsulas com as sementes junto das quantidades certas de terra, nutrientes e oxigenação; e outro de iluminação artificial que dá autonomia de 16 horas e acelera o crescimento em duas vezes.

Leia também:

Brian Requarth lança um olhar estrangeiro para o mercado em ascensão das startups no Brasil

A Hora e a Vez das Startups. Você está Pronto para a Jornada?

Terra, Água, Sol e Tecnologia, Muita Tecnologia

Digitalização é palavra-chave para Empresas durante Pandemia

Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por LPCom
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br