7 dicas para o descarte correto de resíduos: como poluir menos o planeta?

O Brasil gera, aproximadamente, 80 milhões de toneladas de lixo por ano, sendo que, desse volume, apenas 4% têm sido reciclados, de acordo com a Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais). A pesquisa também aponta que foram desperdiçados 12 milhões de toneladas de produtos recicláveis no ano, deixados em locais inapropriados.

Contudo, a reciclagem depende de alguns fatores para conquistar uma estrutura sólida e efetiva, que passa pela cadeia do descarte correto até a coleta e triagem desses itens. Para isso, há a necessidade de uma conscientização ambiental, que tem início em casa. Nas residências e escritórios, o lixo orgânico deve ser separado do que é reciclável. Itens como alumínio, papel, vidro e plástico são materiais reaproveitáveis, porém, precisam ser descartados sem resíduos como a gordura, por exemplo.

Com eles limpos e secos, a separação ganha maior rapidez e eficiência, além da obtenção de uma triagem mais criteriosa. Embalagens com restos de alimentos ou sujas por algum tipo de resíduo acabam sendo inutilizadas no processo de reciclagem, perdendo algo valioso.

Outro tipo de resíduo encontrado nos lares brasileiros que pode ser reaproveitado é o de grande volume, ou seja, basicamente tudo aquilo que não cabe dentro dos sacos de lixos, como armários, camas, sofás, portas, mesas, cadeiras e berços, entre outros. Sem saber o que fazer, o brasileiro descarta esses materiais na rua, que acaba atraindo insetos e roedores, contaminando rios e, em outros casos, esses materiais são queimados, poluindo o meio ambiente.

É sabido que cada prefeitura tem sua maneira de trabalhar para receber este tipo de resíduo, mas o certo é a responsabilidade de cada um, que deve levar ou pagar um frete para descartar em um ecoponto, como acontece no mundo inteiro, pois assim será descartado em seu destino final.
Vale lembrar que boa parte desse material, que é um passivo ambiental, se destinado adequadamente, pode ser transformado em combustível para a geração de energia renovável.

Conheça algumas dicas de separação correta do lixo para uma reciclagem de sucesso:


1- Papéis com cola, filme PVC, fitas adesivas, esponja de aço não são recicláveis e devem ir para o lixo comum;
2- Embalagens de papelão ou de plástico que embalam as capsulas de café devem parar no lixo reciclável;
3- Evite amassar o papel antes de jogar no lixo. Quanto mais intacto ele estiver, mais as fibras de celulose são mantidas para a reciclagem;
4- Embalagens e recipientes de maquiagens são recicláveis;
5- Caixa de pizza é reciclável, retire os restos orgânicos e descarte na lixeira destinada aos recicláveis
6- O isopor é reciclável e deve ir para a lixeira de plásticos ou de recicláveis. Ele pode virar, por exemplo, matéria prima para blocos de construção civil;
7- Alumínio das tampas de iogurtes, dos invólucros de garrafas de vinho, das bandejas e das embalagens de marmitas devem ser descartados na lixeira de recicláveis.

O comportamento da sociedade perante o descarte e reaproveitamento de recicláveis só sofrerá mudanças por meio da conscientização coletiva e tudo começa por uma educação ambiental iniciada em casa.


*Felipe Barroso é diretor-presidente da Transforma Energia, primeira empresa brasileira a desenvolver um projeto que atende em 100% o novo marco regulatório de tratamento e destinação final de resíduos.

Este conteúdo de divulgação foi fornecido
Por IMAGE Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br