Tabas levanta R$ 80 milhões em Series A e foca na transformação da experiência de locação na América Latina

A rodada é liderada pela Blueground, com investimentos de US$ 5 milhões na startup brasileira

A Tabas, PropTech especializada em aluguel de apartamentos totalmente mobiliados e com design exclusivo, anuncia a captação de US$ 14 milhões em sua rodada Series A, o equivalente a R$ 80 milhões. O objetivo é se tornar a maior operadora de aluguel flexível para estadias de médio e longo prazo da América Latina. A Tabas levantou US$ 6.6 milhões em equity na rodada liderada pela PropTech Blueground, líder global em aluguéis flexíveis de imóveis mobiliados para estadias mensais e anuais, presente em 18 cidades nos EUA, Europa e Oriente Médio. Echo Capital, gestora de Guilherme Weege, controlador da Malwee, e Nelson Queiroz Tanure também investiram nesta rodada. Além disso, a Tabas captou outros US$ 7,3 milhões em debt com outros investidores.

Simone Surdi, COO (esq.), Leonardo Morgatto, CEO (centro) e Felipe Cohen, CFO (dir.) Creditos: Foto Divulgação

Com 360 apartamentos nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, a Tabas tem como missão redefinir o conceito de morar e alugar, criando espaços incríveis para que as pessoas se sintam em casa em qualquer lugar do mundo. Os imóveis são criteriosamente escolhidos em localizações privilegiadas e passam por reformas completas para atingir os padrões de design e conforto da Tabas. Proporcionar aos inquilinos uma locação flexível — algo ainda raro no mercado brasileiro — permite que a empresa ofereça uma experiência inovadora, tranquila e moderna. A Tabas atua com contratos de longo prazo com os proprietários das unidades e garante, além do pagamento mensal do aluguel em dia, a renovação e manutenção dos imóveis durante todo o período da locação, aumentando o valor do apartamento após o término do contrato.

“A demanda por aluguéis flexíveis de médio e longo prazo de apartamentos mobiliados continua crescendo no Brasil, com raros players no setor capazes de atendê-la”, afirma Leonardo Morgatto, CEO e fundador da startup. “A Tabas está traçando um caminho para uma nova forma de viver. Para os proprietários, somos uma solução ideal e estável, enquanto para os locatários, oferecemos um lugar para se sentirem em casa com a liberdade de viver como, onde e por quanto tempo desejarem. Estamos empolgados em usar os valores do investimento para aprimorar, por meio da tecnologia, nosso serviço e crescer exponencialmente no próximo ano.”

Lançada no início de 2020 por Leonardo Morgatto e Simone Surdi, no começo do período de pandemia que desencadeou um dos momentos mais complicados da economia global, a Tabas aprendeu a crescer de forma eficiente em um cenário de restrição de recursos. O negócio cresceu dez vezes no último ano, mantendo uma taxa média de ocupação de 93%. A empresa pretende usar os recursos da rodada Series A para acelerar a expansão e crescer para mais cidades do Brasil e chegar a 1.200 apartamentos até o final de 2022. O plano também inclui aprimorar a sua tecnologia para melhorar a experiência do cliente e desenvolver novos serviços e soluções para viajantes corporativos e empresas de realocação. Em 2022, a startup também prevê o lançamento de produtos fintech para os proprietários, em conjunto com fundos de investimento altamente especializados. Por fim, para cumprir seus planos agressivos de crescimento, a Tabas pretende contratar talentos com alta qualificação e aumentar sua equipe de 80 para 120 funcionários em 2022.

Este é o primeiro investimento da Blueground em uma startup e, como parte do acordo, o CEO e cofundador da empresa, Alex Chatzieleftheriou, fará parte do conselho de administração da Tabas. “A Tabas entrou no mercado em um dos momentos econômicos mais difíceis. Sua resistência e resiliência é o que atraiu a Blueground a investir no seu crescimento. Há um enorme potencial de mercado na América Latina e uma sinergia natural entre as duas empresas”, conta Chatzieleftheriou.


 Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por Nr7 Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br