Farmacêutica estima faturar R$ 1 milhão, ensinando seus alunos como empreender com sorvetes terapêuticos

O alimento funcional é um grande aliado para quem está buscando qualidade de vida

A cada dia que passa as pessoas buscam ter uma vida mais saudável, fazendo atividades físicas e cuidando de sua alimentação. Inclusive este último vem atraindo a atenção do mercado, trazendo opções para que possam comer com mais qualidade. Segundo levantamento realizado pela Research and Markets, a estimativa para 2021 era de que o setor de alimentos funcionais chegasse a movimentar cerca de US $ 92,3 bilhões.

E o sucesso desse mercado é explicado pela Giselle Sell, empresária farmacêutica que atua no ramo há mais de 11 anos. A empreendedora explica que entrou neste ramo após iniciar sua vida mais saudável, onde abdicou de consumir seu doce favorito por não encaixar em sua dieta, mas percebeu que poderia criar um produto que tivesse zero açúcar, sem glúten, sem lactose e rico em proteínas e fibras, que proporcionam benefícios reais a sua saúde.

“Adorava comer doces, mas depois que passei a ter uma vida mais saudável não podia mais consumir esse tipo de alimento. Minha vida era outra. Foi quando eu percebi que poderia criar um produto aliado a minha dieta, a minha qualidade de vida”, comenta Giselle Sell, fundadora da Terapia & Sabor.

Após colocar sua ideia em prática e ver que deu certo, a farmacêutica percebeu que poderia atingir novos lugares do Brasil ensinando novas pessoas a criarem seus sorvetes e atender um público que não era atendido pelo mercado, como pessoas com sobrepeso, diabéticos, idosos, intolerantes, veganos, celíacos, bariátricos, e entre outros. “Percebi que não teria como eu levar meu produto para públicos de nicho em todo o país, por questões logísticas de um alimento perecível. Então decidi ensinar tudo o que sei para meus alunos”, diz a fundadora do Terapia & Sabor.

Em seu curso, a empresária conta com um amplo conteúdo para ajudar seus alunos a inovarem, com receitas funcionais que podem criar através da sua técnica, métodos de venda, marketing e como montarem seu próprio negócio sem investir muito. Giselle já aplicou seu conhecimento em mais de 100 projetos, e para 2022 pretende atingir ainda mais, e obter um faturamento de mais de R$ 1 milhão.

A empresária explica que vê com bons olhos o momento atual, explicando que essa é uma oportunidade de ouro para investir neste ramo. “O Brasil consome em média 4 litros de sorvete per capita, enquanto outros países como Nova Zelândia e Estados Unidos ingerem 25 litros por pessoa. O motivo é que o produto no nosso país se posicionou como uma sobremesa, e o brasileiro reconhece esse alimento como uma guloseima calórica e não saudável. Porém inovando a receita e elevando o seu valor nutricional, ampliamos muito mercado de atuação e com a explosão do setor alimético podemos mudar esse cenário atual”, encerra Giselle Sell.


Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por Magna Press comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br