Investo apresenta o NFTS11, o primeiro ETF do mundo a investir nas principais criptomoedas do Metaverso

Com o lançamento na B3 a partir de 04 de Abril, o NFTS11 permitirá aos brasileiros investir nas principais criptomoedas que constituem um dos setores mais promissores do futuro

O mundo está passando por diversas transformações, dentre elas, a tecnologia e a realidade virtual. Um exemplo é o Metaverso, um mundo virtual que pode ser acessado através de dispositivos digitais, onde criou-se um mercado de negociação de objetos, terrenos e até obras de arte, todos esses ativos que só existem no mundo virtual, também conhecidos como NFTs (Non-Fungible Tokens). As NFTs tiveram uma adoção significativa desde o último ano, e as pessoas continuam procurando formas de investir nesse tipo de produto. Pensando nisso, a Investo, primeira gestora independente e especializada em ETFs do Brasil, apresenta seu novo ETF na B3, o NFTS11 que, pela primeira vez no Brasil, é um produto que investirá nas principais criptomoedas do setor de mídia e entretenimento localizadas nas principais plataformas do Metaverso, onde as NFTs são criadas e negociadas.

“Vivemos em uma geração em que os mundos virtuais estão gerando uma riqueza para os usuários que passam cada vez mais tempo interagindo em plataformas digitais, e o brasileiro também merece participar dessa riqueza que é criada. É justamente isso que o NFTS11 possibilita – facilitar o investimento em ativos dos mundos virtuais, aproximando os investidores de um mundo com alto potencial”, afirma Cauê Mançanares, CEO da Investo. 

Nos últimos anos, um grupo particular de criptomoedas de jogos digitais, os Gamecoins, apresentou valorizações expressivas em seus valores de mercado. O NFTS11, por sua vez, é um ETF composto por criptomoedas que compõem o índice de mercado de criptomoedas do Metaverso, o MVIS CryptoCompare Media & Entertainment Leaders, administrado pela MV Index Solutions (MVIS). Entre as principais criptomoedas listadas no índice estão a Decentraland, The Sandbox, Axie Infinity Shards, Gala, Basic Attention Token, Chiliz e Enjin Coin. “A MV Index Solutions orgulha-se de se associar aos nossos amigos da Investo para acelerar a inovação no ecossistema dos Bens Digitais, trazendo um conceito de vanguarda para o Brasil.  O MVIS CryptoCompare Media & Entertainment Leaders Index é um elemento-chave para a avaliação comparativa das carteiras de ativos digitais por categoria, neste caso, capturando o universo das moedas utilizadas para recompensar os utilizadores de conteúdos, jogos e redes sociais”, explica Steven Schoenfeld, CEO da MV Index Solutions.

Os fundos de investimento, incluindo os ETFs, contam com uma taxa de administração. Especificamente no NFTS11, a única taxa de administração cobrada é de 0,75% ao ano, e o valor de aquisição deste produto é de R$ 100/cota. Além disso, o NFTS11 é tributado como um ETF de renda variável, e há pagamento de 15% sobre o ganho de capital na venda das cotas, e se a operação for de day trade (com compra e venda no mesmo dia), a alíquota será de 20%.

“Estamos muito satisfeitos em trazer este novo fundo para o mercado brasileiro em parceria com a Investo, fornecendo soluções atrativas para os investidores que procuram formas de aumentar os mercados investidos e acrescentar exposições direcionadas e diferenciadas ao universo dos activos digitais”, afirma Jan van Eck, CEO da VanEck. As principais corretoras que estão trabalhando na divulgação deste produto são: BTG Pactual, Modal Mais, Vitreo e Nu Invest, como coordenadores líderes.

“A B3 trabalha para desenvolver produtos diferenciados, que acompanhem a sofisticação do investidor e as tendências do mercado. Parecerias como essa possibilitam a diversificação e o acesso a setores inovadores, atendendo a estas novas demandas de um público cada vez mais atento à tecnologia”, diz Luis Kondic, diretor executivo de Produtos e Dados da B3. Importante ressaltar que investir em ETFs pode ser uma alternativa interessante para a diversificação da carteira, pois permite se expor a diferentes ativos de criptomoedas por meio de uma única cota. 

Além disso, também costumam ter um custo mínimo relativamente baixo, facilitando o acesso dos investidores. Quando se trata do NFTS11, existem outras vantagens que merecem destaque:

  • Diversificação da carteira: possibilidade de se expor ao mercado de criptomoedas ligadas às NFTs;
  • Exposição a um segmento em crescimento exponencial: o mercado de Gamecoins cresceu de forma acelerada em 2021, e representa um dos segmentos de criptomoedas com maior potencial para valorizações ;
  • Liquidez e negociação em bolsa: os ETFs são negociados na bolsa de valores, possuindo liquidez de bolsa (D+2) e a solidez do ambiente de negociação da B3;

Como todo fundo de investimento, é necessário entender os riscos envolvidos. Por isso, é fundamental considerar que eles são uma alternativa de investimento em criptomoedas, não sendo possível garantir retornos – inclusive, podendo acontecer perdas, e deve-se considerar a volatilidade das criptomoedas que compõem o ETF. Recomenda-se ler os fatores de risco no site do ETF antes de investir. 

“A Investo traz o NFTS11 ao mercado para ajudar o brasileiro que deseja investir no mercado de criptomoedas ligadas às NFTs, e fazer esse investimento de forma segura, com toda a transparência e segurança que um ETF permite. Dessa forma, o investidor brasileiro pode participar no potencial de investimento que as criptomoedas e as NFTs trazem, utilizando sua corretora de preferência, com um produto regulado pela CVM e Anbima. Ou seja, um produto que pode ser comprado e vendido com a segurança da negociação em Bolsa, como a B3″, explica Cauê. 

Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por VCRP Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br