fbpx

Quer investir em cripto? Especialista em finanças e ex-JPMorgan lista fatores importantes para dar o pontapé inicial

Andrey Nousi, CFA e fundador da Nousi Finance explica mais sobre esse ramo de investimentos que só cresce no país

Mais de 10 milhões de pessoas já investem em criptomoedas no Brasil, a informação é de estudo recente da FinDocs. O grande número de adeptos fez com que o país se tornasse o quinto maior mercado mundial da moeda, porém, ainda está longe de atingir o seu potencial máximo.
 

Afinal, o que são criptomoedas?

Segundo o especialista Andrey Nousi, CFA e fundador da Nousi Finance, a criptomoeda é um ativo 100% digital, que independe de instituições financeiras para serem transacionadas, registradas e armazenadas pelos próprios usuários, e que conta com criptografia como recurso de segurança.
 

Nousi explica que os ativos resolvem inúmeros problemas do atual sistema financeiro tradicional.
 

“Quando você faz um pagamento existem vários intermediários participando dessa transação e cada um deles cobra uma taxa, como por exemplo as empresas de cartão de crédito que cobram entre 2 e 3% do custo da transação. Isso é bastante oneroso para os comerciantes. Com as criptos, você elimina os intermediários e as transações entre países são instantâneas, sem a necessidade de pedir aprovação de alguém para tal”, explica o especialista.
 

Quer investir em cripto
Andrey Nousi, CFA e fundador da Nousi Finance

No mercado cripto, apesar de denominarem muitos ativos como criptomoedas, a maioria deles são na verdade tokens.
 

“Enquanto uma criptomoeda possui sua própria rede, na qual são registradas e armazenadas as transações, um token consiste em um código construído em uma rede, que tem sua criptomoeda como ativo principal para pagar taxas transacionais”, afirma Nousi.
 

Como adquirir?

Existem diferentes maneiras nas quais você pode adquirir criptomoedas, de acordo com Nousi, no início, as criptos existentes são mineradas e também podem ser cunhadas por usuários da rede que registram e/ou armazenam os dados da rede.
 

“No caso do bitcoin, esse processo, seguido da resolução de uma prova matemática por computadores, é chamado de ‘mineração’ e, a cada bloco que tem seu problema matemático resolvido, hoje, são ‘criados’ 6.25 novos bitcoins”, conta Nousi.
 

As criptomoedas também podem ser compradas e vendidas mineradas em corretoras centralizadas ou descentralizadas. Outra forma de aquisição dos ativos é por meio do Exchange-Traded Funds, ou ETF’s.
 

Como posso guardá-las?

Você pode guardar suas moedas digitais de 3 formas, a primeira é a Hot Wallet, uma carteira 100% digital, conectada a internet e com um software presente em seu dispositivo; a segunda é a Cold Wallets, uma carteira física, um hardware. Com ela você guarda suas chaves privadas em um dispositivo sem conexão direta à internet.
 

A terceira são as corretoras, neste caso, toda a segurança dos seus criptoativos dependerão da segurança da corretora, interna e externamente.
 

Por que as criptomoedas são tão voláteis?

Nousi explica que pelo fato do mercado de criptomoedas ser novo se torna difícil ter precisão quanto a precificação do ativo.
 

“A capitalização de mercado da maioria das criptomoedas ainda é pequena. Isso faz com que players detentores de grandes posições exerçam relevantes pressões, tanto compradoras quanto vendedoras, ao negociar seus fundos. Tal volatilidade implica no excesso de oportunidades”, afirma Nousi.
 

Para aprender a analisar o cenário cripto, Nousi recomenda os modelos mais utilizados como a “Análise Técnica”, a “Análise Fundamentalista” , a “Análise de Sentimento” e “Análise On-chain”.
 

Quais os modelos de precificação?

O principal modelo é o stock-to-flow, popularmente conhecido como “S2F”. Ele busca precificar o ativo relacionando sua oferta e demanda. Com a crescente demanda, o modelo apresenta “alta infinita”, com maiores períodos de valorização em sequência dos eventos denominados “halving”.
 

Outro modelo que pode ser considerado mais dinâmico é o “Bitcoin NVT Price”, ou “Bitcoin Network Value to Transaction”. Com a alteração de volume transacionado na rede do Bitcoin e de seu valor total de mercado, o modelo de precificação NVT é constantemente atualizado.

Sobre o especialista:

Andrey Nousi é CEO da Nousi, empresa de educação e consultoria financeira que ajuda milhares de pessoas a investir melhor. Tem mais de 12 anos de experiência no mercado financeiro internacional, atuando anteriormente como Vice-Presidente do JP Morgan na Suíça, onde fazia gestão de fortunas de bilhões de reais. Além disso, é licenciado pelo CFA, a mais seleta certificação de finanças do mundo. É graduado em Finanças pela Aalto University, na Finlândia, e possui Mestrado em Finanças pela Rotterdam School of Management, na Holanda.


Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por Hochmuller Multimídia

e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br