fbpx

Comércio Exterior: os caminhos para realizar negócios sem fronteiras

Buscar novos horizontes e internacionalizar um produto ou serviço pode ser algumas das metas de quem busca empreender com sucesso e conquistar cada vez mais espaço. Para iniciar no mercado internacional de exportações ou importações, é preciso ter um grande ponto de atenção e se preparar para atender aos padrões internacionais.

“Não é possível falar de globalização sem a existência do comércio exterior. Ele é necessário para a economia global, para expandir os mercados internacionais, trazendo acesso a novos produtos, buscando maior competitividade e fortalecendo a economia dos países”, explica o especialista em logística Luís Felipe Campos, que possui experiência no setor internacional  principalmente no trade Europa-América Latina.

A comercialização de produtos ou serviços entre diferentes países é a marca de um mundo cada vez mais globalizado e competitivo, que tem o comércio exterior no papel principal. Ele é essencial para expandir os negócios, cruzar fronteiras e facilitar tarefas que, a princípio, podem parecer complicadas.

“O comércio exterior é responsável por todas as etapas da compra e venda de produtos entre diferentes países, passando pelo transporte e planejamento. É ele que possibilita um país vender o seu produto excedente para outro que não tem a mesma capacidade produtiva. Dessa forma, ambos os lados têm ganhos”, afirma o especialista.

Vale destacar também que o comércio exterior possui grande importância no Produto Interno Bruto (PIB), indicador que avalia a atividade econômica de um país e o nível de riqueza dele. O PIB está relacionado à balança comercial que se refere à diferença entre as exportações e as importações realizadas. O crescimento do PIB será maior se houver mais exportações do que importações.

O período da pandemia influenciou nas atividades de comércio exterior desde lockdowns até a falta de containers em algumas localidades. Independentemente do setor da economia, do porte das empresas e até mesmo do tamanho do país e de sua economia, o fato é que os efeitos e seus reflexos irão continuar impactando o setor logístico por um certo período.

“A inflação mundial em alta, a disputa da Rússia com a Ucrânia e a pandemia recente afetam diretamente a logística em todos os setores. Com os juros atrativos, a tendência da moeda nacional é se fortalecer com investimento de capital estrangeiro, o que pode acarretar em um aumento das importações. A expectativa é que haja um aumento dos custos logísticos, causado pelo aumento do combustível globalmente e devido ao aumento da demanda de importação”, explica Luís Felipe Campos.