fbpx

Mesmo com redução do ICMS, gasolina continua alta e motoristas optam pelo GNV

Em pelo menos 20 estados brasileiros, já é possível perceber uma leve queda nos valores da gasolina nas bombas depois da recente redução do ICMS sobre os combustíveis. Mas apesar dos reajustes, a gasolina continua alta e abastecer com o GNV segue se mostrando mais vantajoso para os motoristas.

Levantamento feito pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que, na semana entre os dias 03 e 09 de julho – período em que a redução do ICMS já estava em vigor -, o preço médio da gasolina no Rio de Janeiro, por exemplo, era de R$ 6,58, enquanto o valor médio do metro cúbico do GNV era de R$ 5,11.

De acordo com estimativa da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), para cada 1 quilômetro que o motorista roda com a gasolina ou etanol, é possível percorrer de 1,7 a 2 quilômetros com o mesmo valor gasto em GNV. Ou seja, com o gás natural, o motorista gasta a metade do valor para rodar a mesma distância com gasolina ou etanol.

“Diante disso, mesmo com o cenário atual de queda nos preços da gasolina, o GNV continua sendo mais competitivo. No estado do Rio, com R$ 100,00, o motorista percorre 287 quilômetros utilizando GNV,  140 quilômetros utilizando a gasolina e somente 134 quilômetros utilizando o etanol”, estima Celso Mattos, vice-presidente da Firjan e presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios do Rio de Janeiro (Sindirepa).

E os preços têm ajudado no aumento do consumo do GNV no estado. Segundo o Sindirepa, a média do volume de vendas do Gás Natural Veicular no primeiro trimestre de 2022, no Rio de Janeiro, foi 16% maior que a média total de 2020 e 9% maior na comparação com o mesmo trimestre de 2021.

“E com o objetivo de estimular ainda mais esse consumo, representantes da Firjan e do Sindirepa devem se reunir com o governador do Rio de Janeiro, ainda neste mês de julho, para pleitear que o ICMS do GNV seja reduzido a zero até dezembro”, adianta Mattos.

IPVA e Meio Ambiente

Além da economia nos gastos diários, alguns estados, como o Rio de Janeiro, oferecem descontos no IPVA para veículos que possuem kit GNV instalado. O percentual da alíquota cai de 4% (carros a gasolina ou flex) para 1,5% do valor do veículo.

“Além do desconto no IPVA, o uso do GNV também oferece benefícios ambientas. Ele emite menos poluentes e gases de efeito estufa que a gasolina, em torno de 25% a menos, o que já contribui com as metas de descarbonização e com a qualidade do ar, principalmente em ambientes urbanos”, ressalta Mattos.

De acordo com a Firjan, no Rio de Janeiro, o GNV é o combustível mais procurado. O estado lidera com 62% do total de veículos que adotam o uso no país. Em valores absolutos, o estado foi responsável por instalar quase três vezes mais que os demais estados do país no último ano.

Dados parciais da Firjan indicam que, até fevereiro de 2022, houve uma alta de 80% nas instalações de GNV em todo o país, no acumulado dos últimos 12 meses. Ao observar somente o primeiro bimestre de 2022, as instalações de kit GNV cresceram 30% no Rio de Janeiro em comparação ao mesmo período de 2021 e 53% em relação a 2020, período pré-pandemia.