fbpx

Empresas focam em metas de sustentabilidade a longo prazo

Visando um desenvolvimento mais sustentável, principalmente com foco na proteção do meio ambiente, empresas brasileiras têm adotado boas práticas de sustentabilidade. O termo ESG (do inglês Environmental, Social, and Governance) tem ganhado espaço nas discussões sobre o tema que, hoje, se tornou um critério para as boas avaliações do mercado.

De acordo com um estudo divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e produzido pelo Instituto FSB Pesquisa, no final de 2021, cerca de 22% das empresas entrevistadas realizam gestão e acompanhamento de suas estratégias relacionadas ao meio ambiente, sociedade e governança. Ainda de acordo com o levantamento, 26% das empresas se preocupam com o descarte de resíduos sólidos e 12% com o desenvolvimento de produtos sustentáveis. Mesmo assim, cerca de 60% dessas empresas, de porte grande e médio, não possuem estratégias de sustentabilidade estabelecidas.

A Organização das Nações Unidas (ONU) cita, em seu relatório de Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), que as indústrias devem construir infra estruturas resilientes, aliadas a uma industrialização sustentável que fomente a inovação do setor. Essas ações buscam o equilíbrio entre crescimento de mercado e responsabilidade ambiental.

Juliano Fontagnelo, superintendente de Experiência do Cliente e Marketing da operação brasileira da Elis, empresa com mais 130 anos de experiência nos serviços de gestão e higienização de têxteis, afirma que, tendo metas sustentáveis em sua agenda, as marcas reforçam seu posicionamento de serem instituições que se preocupam com o meio ambiente. “É fundamental se posicionar com relação às questões ESG, pois o mercado e os consumidores, cada vez mais, exigem esse compromisso das empresas. Por isso é importante as marcas divulgarem suas ações e suas metas de sustentabilidade”.

Algumas ações sustentáveis são essenciais para que se diminuam os danos já causados no meio ambiente. Para Juliano, certas práticas se destacam, tais como: medição de emissões gasosas geradas pelo setor de utilidades, sistema de água de reuso, utilização de materiais recicláveis na produção, recursos renováveis de matéria orgânica, recuperação do óleo em efluente líquido e Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, Serviços de Saúde e Coleta Seletiva.

Para saber mais, basta acessar: https://br.elis.com/pt