fbpx

Especialista alerta para a importância de se fazer o check-up cardiológico

As doenças cardiovasculares são responsáveis por mortes prematuras, perda de qualidade de vida, além de impactos adversos econômicos e sociais. Em todo o mundo, mais de 17 milhões de pessoas morrem em decorrência delas todos os anos. De acordo com o Estudo GBD 2019 e a base de dados do SUS, elas são a causa número 1 de morte no Brasil.

Há estimativas de que até 85% das mortes prematuras e 50% das situações em que ocorreram um ataque cardíaco ou um acidente vascular cerebral, poderiam ter sido evitadas pela prevenção ou detecção precoce do problema. O diagnóstico precoce é fundamental para o sucesso do tratamento das doenças cardiovasculares. Mas, muitas vezes, o paciente não sente nenhum problema na fase inicial da doença, daí a importância do acompanhamento médico “principalmente nos tempos atuais, em que o impacto de novas doenças e do stress na saúde das pessoas é cada vez mais frequente, um check-up cardiológico torna-se de suma importância para a manutenção da qualidade de vida”, explica o Dr. Eduardo Henrique, cardiologista da clínica Mater Dei Cardio Imagem e do Mater Dei Santa Genoveva.

No centro de Imagem, o check-up cardiológico inclui a avaliação cardíaca completa, que é projetada para incluir os testes necessários que podem fornecer aos médicos informações importantes sobre a condição do sistema cardiovascular, e compreende: ecocardiograma, eletrocardiograma, holter 24h, teste ergométrico, MAPA, etc. “Dispomos de equipamentos de alta tecnologia, o que torna mais ágil a liberação de laudos para os clientes, e uma equipe médica experiente, disponível, com agendas todos os dias da semana”, diz o médico.

O lugar oferece um amplo espectro de cuidados, tornando-se referência na região por prestar um serviço humanizado, de qualidade, com compromisso e respeito aos clientes e oferecer a garantia de um excelente atendimento, em um espaço de acolhimento e cordialidade.

Abaixo, os exames realizados:

● Eletrocardiograma – É um registro gráfico da atividade elétrica do coração. A eletrocardiografia é um método indolor, seguro e rápido, que dura apenas alguns minutos. O paciente deve ficar imóvel para que o resultado seja válido. Até doze eletrodos são colocados no peito e membros, a fim de registrar como o coração bate. O computador registra as informações e as exibe em um monitor ou papel na forma de ondas. Com base na forma da onda e na duração do intervalo, é possível notar distúrbios no funcionamento do coração.

● Teste ergométrico – É um teste de esforço e que mostra como o coração funciona durante a atividade física. Como o exercício faz o coração bater mais forte e mais rápido, o teste pode revelar problemas com o fluxo sanguíneo dentro do coração. O paciente deve caminhar em uma esteira ou andar de bicicleta ergométrica, enquanto o ritmo cardíaco, pressão arterial e respiração são monitorados.

● Ecocardiograma – Usando o mesmo mecanismo do ultrassom, por meio do som das batidas do coração é possível fazer uma imagem do coração e suas estruturas, como válvulas e câmaras. O médico avalia se o coração está batendo normalmente, se o fluxo sanguíneo está adequado, além de identificar possíveis problemas anatômicos, como orifícios ou espessamento das paredes do músculo e defeitos nas válvulas cardíacas.

● Duplex Scan – Método de ultrassom não invasivo que mede o fluxo sanguíneo através das artérias carótidas, as grandes artérias que vão do coração até o cérebro, passando pelo pescoço. Em geral, é o primeiro teste feito para avaliar o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC).

● MAPA – A Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial durante 24 horas é uma forma de medir e controlar a pressão arterial elevada (hipertensão) e permite o aferimento da pressão arterial durante um período de 24 horas, estando o paciente acordado ou em repouso. Na maioria dos casos, as leituras são feitas a cada 20 a 30 minutos, durante o dia, e a cada hora, à noite.

● Holter 24h – É, também, um teste contínuo para registrar a frequência e o ritmo do coração por 24 horas. O paciente usa um monitor Holter por 12 a 48 horas, enquanto segue a rotina diária normal. O dispositivo pode detectar não apenas a frequência e o ritmo do coração, mas também quando o paciente sente dores no peito ou apresenta sintomas de batimentos cardíacos irregulares ou arritmia.