fbpx

WhaleFin, plataforma digital com US$5 bilhões em ativos, visa fortalecer o ecossistema de criptomoedas no Brasil

Desenvolvida pelo Amber Group, empresa líder global em ativos digitais, a plataforma oferece confiança e segurança aos investidores para melhor construir riqueza em um mercado cada vez mais competitivo

O Amber Group, empresa de ativos digitais, quer estender no Brasil o caminho da empresa para a construção de um ecossistema moderno de finanças criptográficas com a WhaleFin, sua principal plataforma de ativos digitais. Por meio de um aplicativo móvel ou navegadores da web, a WhaleFin oferece ferramentas de investimento de nível institucional de ponta para criar riqueza na era digital e democratizar ainda mais o acesso ao mundo das finanças de criptomoedas.

Construído com base na experiência profunda que o Amber Group desenvolveu nos mercados institucionais e de varejo em todo o mundo, o WhaleFin é uma plataforma tudo-em-um que serve como a porta de entrada perfeita para criptomoedas para usuários, sejam eles especialistas ou iniciantes.

Com o WhaleFin, o Amber Group quer ajudar a consolidar o mercado de criptomoedas no Brasil e em toda a América Latina, oferecendo aos seus usuários soluções e ferramentas que garantem a segurança e transparência de todos os processos. A profunda experiência que o Amber Group desenvolveu atendendo aos mercados institucionais e de varejo oferece o máximo de confiança para usuários e reguladores da região, tornando o WhaleFIn o gateway mais adequado para cripto para usuários na América Latina, independentemente de sua experiência.

“A América Latina é uma das regiões com maior adoção de criptomoedas. Estamos empolgados em explorar por completo o potencial da tecnologia cripto na região conforme expandimos nossa presença aqui. Como líder global em produtos e infraestrutura de ativos digitais, o Amber Group possui não apenas experiência de mercado e forte apoio de investidores de classe mundial, mas sua abordagem de segurança em primeiro lugar se presta à oferta da WhaleFin e seu espírito na democratização do financiamento de criptomoedas para todos. Estamos ansiosos para construir a confiança do usuário em ativos de criptografia por meio de facilidade e acessibilidade, inaugurando um novo capítulo para as finanças digitais na América Latina”, disse o CEO do Amber Group, Michael Wu.

O Amber Group, agora avaliado em US$3 bilhões após a rodada de US$200 milhões da Série B+ liderada pela Temasek, continua a se expandir com novos escritórios em todo o mundo e licenças regulatórias na América Latina, após seu enorme sucesso na Europa, Ásia e América do Norte. A gigante com sede em Singapura também é apoiada por fortes investidores, incluindo Sequoia, Paradigm, Tiger Global, Dragonfly Capital, Pantera e Coinbase Ventures.

Segundo pesquisa da plataforma de dados blockchain Chainalysis, o Brasil movimentou US$113 bilhões em ativos digitais entre meados de 2020 e 2021, cerca de 50% do volume negociado na bolsa B3 segundo o Banco Central, colocando o país na 14ª posição posição entre os maiores mercados de criptomoedas do mundo e o primeiro da região, mesmo sem regulamentação. A expectativa é que com a recente aprovação da lei que regulamenta as empresas de criptomoedas no país, esse número possa aumentar.

“O Brasil é um mercado altamente competitivo, e isso tornou os brasileiros particularmente inteligentes no uso e na alocação de seu capital e investimentos. Esperamos que a WhaleFin, nossa principal plataforma all-in-one, sirva como uma bússola para todas as suas necessidades de investimento no mundo das finanças criptográficas”, disse Michael Wu.

As economias emergentes em todo o mundo se beneficiaram muito da tecnologia da WhaleFin. A plataforma oferece competitividade e elimina intermediários em mercados onde há grandes porcentagens da população sem acesso a produtos financeiros tradicionais. A WhaleFin oferece aos usuários da América Latina a oportunidade de desenvolver seu portfólio de ativos digitais em um mercado descentralizado e mais inclusivo. Wu disse: “A América Latina tem um grande potencial para a adoção de novas tecnologias e para a ruptura do atual cenário bancário tradicional. Nosso objetivo é garantir que o WhaleFin permita que os usuários acessem facilmente os serviços cripto com os mais altos padrões de segurança e proteção. Acreditamos que a combinação de uma plataforma bem projetada e uma oferta abrangente de produtos de última geração ajudará a preencher a lacuna entre as finanças tradicionais e as finanças digitais”.

E tudo sob o guada-chuvas do Amber Group, que recentemente alcançou com sucesso a conformidade com o Service Organization Control (SOC) 2, garantindo que os clientes sejam protegidos por controles de segurança de nível institucional que governam setores altamente regulamentados. Essa certificação ajuda a garantir todo o processo aos usuários da região LATAM, cenário em que segurança e transparência são muito exigidas por potenciais investidores.

“Segurança e privacidade estão no centro da confiança do usuário em ativos digitais, planejamos continuar a construir confiança nesses ativos entre usuários e reguladores. O Amber Group se tornará sinônimo de padrão ouro em segurança e conformidade no espaço de ativos digitais e além “, explicou Michael Wu. “O WhaleFin responde às demandas dos usuários para interagir com empresas bem estruturadas, bem financiadas e que possuem os mais altos padrões de conformidade regulatória”, acrescentou Wu.

A WhaleFin oferece investimentos de longo prazo com soluções personalizadas para investir com base em perfis de risco, ao mesmo tempo em que possui a infraestrutura de segurança de nível bancário para proteger seus ativos de riscos potenciais. Diferente de outras ofertas, a Whalefin utiliza toda sua tecnologia proprietária para oferecer serviços que vão além de uma simples compra e venda.

A plataforma do Amber Group dá acesso a produtos bancários com criptomoedas, como empréstimos e produtos de renda fixa, possibilidades que podem atrair usuários de países como o Brasil, mais expostos à turbulência do mercado, e que buscam no mercado de criptomoedas um refúgio das oscilações no preço de sua moeda e os efeitos da inflação.

Ao lançar o WhaleFin, o Amber Group quer continuar a missão da empresa de desenvolver uma nova maneira de construir riqueza em um ecossistema de ativos digitais mais igualitário e inclusivo, e também trabalhar em direção a uma economia criptográfica mais sustentável. O Amber Group está envolvido em várias iniciativas de conservação, como Whale and Dolphin Conservation, Happywhale e Whales of Guerrero. Por meio de sua parceria com a Moss.Earth, a empresa também comprou tokens MCO2 equivalentes a 250.000 toneladas de carbono, quase o suficiente para compensar o custo de mais de 280.000 transações BTC.

“À medida que o ecossistema amadurece e se torna cada vez mais sofisticado, é importante que ajudemos a facilitar um mercado global conectado e inclusivo e defendamos o espírito democrático do DeFi. Isso não apenas impulsiona a inovação para o avanço de nossa economia global, mas também é o espírito de oportunidade e a semente para criar um mundo melhor para todos”, acrescentou Wu.


Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por 
Sherlock Communications
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br