fbpx

Automação Residencial: Conheça as vantagens e como ela pode influenciar no bem-estar

Pandemia impulsiona projetos nas residências; especialista e CEO da Automundi, Luiz Fernando Pompei dá dicas sobre o assunto

A automação residencial é uma das principais tendências da arquitetura e do mercado imobiliário: “As consequências da pandemia, onde as pessoas ficavam mais em casa, impulsionaram o número de projetos no Brasil. Em 2021, uma pesquisa feita pelo IDC (International Data Corporation), instituto que faz estudos e projeções sobre tecnologia, apontou que mais de 895 milhões de equipamentos inteligentes foram instalados em lares ao redor do globo.

“Não é mais o futuro, a automação residencial é uma realidade e está cada vez mais presente nas residências. Ter uma casa inteligente deixou de ser um sonho que só era visto nos filmes e ganha cada vez mais espaço no Brasil”, comenta Luiz Fernando Pompei, CEO da Automundi, empresa referência no mercado de automação residencial e tecnologia High-end para ambientação, áudio, vídeo e segurança.

O conceito surgiu na década de 1970, nos EUA, quando os primeiros sistemas automatizados de controle foram criados para operações industriais. Com o tempo, a ideia foi migrando para as residências e segue em constante evolução. Ela possibilita controlar a iluminação, temperatura, ventilação, aparelhos de áudio e vídeo por um tablet, smartphone ou comando de voz, ou até facilitar o uso através de interruptores.

As ações de controle em uma casa automatizada podem ser desde ligar ou desligar aparelhos até monitorar a segurança e acompanhar o dia a dia de quem precisa de cuidados, como crianças, idosos e pets. Não por acaso, os recursos para automação residencial têm se tornado mais populares nas casas do mundo todo.

Vantagens da automação residencial

Com a automação residencial você pode ligar a lareira, o ar condicionado ou até uma lâmpada de qualquer lugar do planeta: “Controlar as persianas e as bombas e motores da piscina e cascata são outros exemplos do que fazer com mais facilidade com a automação. Tudo isso ajuda as pessoas a ganharem tempo e agregarem conforto e bem-estar no dia a dia”, comenta Luiz.

O CEO da Automundi reforça a ideia de criar uma afetividade ao local, deixando a casa com a cara do morador “A automação é um diferencial com certeza, nada melhor do que se sentir bem, sentir pertencimento e ter a casa do seu jeito”.

Um dos principais benefícios da automação residencial é a segurança proporcionada. Mesmo longe de casa, é possível visualizar o que está acontecendo dentro e fora dela, por meio de aplicativos de câmeras integradas ao sistema de automação residencial e também, através das notificações push, que dão informações do que foi acionado, em que cômodo da casa e também a hora do acionamento.

A automação residencial permite a criação de “cenas” na residência, que seriam ambientações específicas: “Você chega em casa e vai assistir um filme, aí tem que fechar a cortina, ligar a TV ou projetor, entre outras coisas. Com a automação em um clique você aperta a função ‘home theater’, por exemplo, e o sistema faz tudo isso e já está pronto para aproveitar, dá até para ligar a pipoqueira”, explica o especialista.

Além disso, a automação impede ações corriqueira, que acontecem no dia-a-dia. Através de sensores e programação inteligente, luzes são apagadas, cortinas são abertas para economizar energia, ou fechada para controlar a temperatura e impedir o uso desnecessário do ar-condicionado.

O que é preciso?

Luiz Pompei explica que é importante que a automação seja o primeiro projeto a se pensar depois de aprovado o projeto arquitetônico e o estrutural, devido aos equipamentos, materiais elétricos, fiação e para o melhor aproveitamento do espaço, visando economia e praticidade. “É essencial iniciar o projeto de automação residencial junto ao arquiteto no início do planejamento. É importante buscar profissionais e empresas que cumpram os requisitos da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que regulamenta o setor de automação no Brasil”, explica.

Conhecer o que existe no mercado e como a tecnologia pode ajudar na rotina também é fundamental. “Eu busco a excelência e a personalização na hora de apresentar a automação, não adianta empurrar um equipamento ou funcionalidade que não condiz com o dia-a-dia do cliente”, complementa o CEO da Automundi.


Este conteúdo de divulgação comercial foi fornecido
Por 
Focco Comunicação
e não é de responsabilidade de revistaempreende.com.br